A 1ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) adiou o julgamento da briga entre torcidas no final do jogo entre Coritiba x Cruzeiro, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. A sessão, que aconteceria na tarde desta segunda-feira (27), foi remarcada para a próxima segunda (4) por conta de um equívoco na denúncia feita pela Procuradoria.

O presidente da sessão, Alcino Guedes, informou que a denúncia feita pela Procuradoria no dia 15 de novembro foi convertida em “medida inominada” após a decisão do presidente do STJD, José Perdiz. O órgão só poderia julgar o episódio caso houvesse uma nova denúncia por parte da Procuradoria, mas isso não aconteceu em tempo hábil. Denunciado no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, o Coritiba corre o risco de perder até 20 mandos de campo por ter sido o responsável pela segurança da partida na Vila Capanema.

“Houve um equívoco na inclusão desse processo em pauta, porque a denúncia foi convertida em medida inominada pela decisão do presidente do tribunal, José Perdiz. E na decisão em que ele defere as medidas cautelares requeridas pela procuradoria, ele determina o retorno dos autos à procuradoria para o oferecimento de nova denúncia, o que só foi feito na manhã de hoje”, justificou Guedes na sessão.

Coritiba e Cruzeiro não terão mais público em 2023

A determinação do STJD é para que Coritiba e Cruzeiro joguem sem público até o fim do Brasileirão. Na sessão desta segunda-feira, a defesa coxa-branca solicitou que as partidas disputadas sem torcida até a realização do julgamento sejam levadas em conta para uma diminuição de pena. O Alviverde também pode ser multado em até R$ 400 mil.

Relembre o caso

A briga aconteceu depois do gol da vitória do Coritiba sobre o Cruzeiro, marcado por Robson aos 45 minutos do segundo tempo. Imediatamente após o lance a torcida organizada do time mineiro invadiu o gramado da Vila Capanema, dirigindo-se diretamente para a Reta do Relógio, onde estava a organizada alviverde, que também entrou no campo. Até a intervenção do batalhão de choque da Polícia Militar, as duas facções se enfrentaram diretamente, pois o número de seguranças contratados pelo Coxa, organizador da partida, era muito pequeno.

Na última quarta-feira (22), a Polícia Civil indiciou 15 torcedores do Coritiba pela briga na Vila Capanema, entre eles reincidentes. Eles se apresentaram à Delegacia Móvel de Futebol e Eventos (Demafe) rapidamente para prestar esclarecimentos. Entretanto, a pena deve ser branda. Todos foram indiciados pelo crime de rixa e tumulto e podem ficar detidos por um período de 15 a 60 dias, dependendo do entendimento do juiz, mais multa.

Briga entre torcedores de Coritiba e Cruzeiro
Briga tomou conta da Vila Capanema. Foto: Robson Mafra/Estadão Conteúdo

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Coritiba x Cruzeiro: julgamento de briga entre torcidas é adiado

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.