O Coritiba, de fato, já começou a planejar 2024. E a primeira medida foi trocar o comando técnico. Thiago Kosloski foi demitido e para seu lugar será contratado Guto Ferreira, que salvou o Coxa do rebaixamento em 2022, mas quase um mês depois do final do Brasileirão foi demitido.

Na ocasião, o Alviverde decidiu trocar de treinador e apostou em António Oliveira. Guto deixou o time com seis vitórias, dois empates e oito derrotas, um aproveitamento de 41,6% dos pontos disputados.

“Estou muito feliz e motivado em retornar ao Alto da Glória. Chego em um dos projetos mais ambiciosos do futebol brasileiro e quero fazer parte da nova era da instituição com muito profissionalismo e dedicação“, disse o novo comandante, nas redes sociais do clube.

O novo técnico assume o Coritiba ainda esta semana e deve comandar a equipe nas últimas duas rodadas do Brasileirão – contra Red Bull Bragantino e Corinthians -, até para já testar peças, visando a montagem do elenco para a nova temporada.

“A nova comissão iniciará suas atividades amanhã (terça-feira). Com isso, trabalhamos 2024 e determinamos o começo da nova comissão técnica ainda em 2023 para que possamos antecipar o ano que vem, que tenha 13 meses de planejamento“, disse Carlos Amodeo, CEO da SAF do clube.

Histórico de acessos pesou para o Coritiba

Pesou a favor de Guto Ferreira o bom retrospecto na Série B. O treinador já subiu com Ponte Preta (2014), Bahia (2017) e Sport (2019). Em 2012, subiu com o Mogi Mirim da Série D para a Série C.

“É importante dizer que a Série B é uma competição muito específica, completamente diferente da Série A. O perfil dos treinadores precisa ser de alguém que conheça essa competição, tenha experiência e sucesso, que conheça os atletas. E nesse quesito, olhando a experiência do Guto dentro do próprio Coritiba, entendemos que ele é o nome indicado para esta jornada“, acrescentou Amodeo

Aos 58 anos, ele passou por Goiás e Ceará em 2023. No time goiano, foram 25 jogos, com 16 vitórias, seis empates e três derrotas. Apesar dos bons números, foi demitido após perder o título estadual para o Atlético-GO, nos pênaltis. Pelo Vozão, foram 12 partidas na Série B, com quatro vitórias, cinco empates e três derrotas.

Saída polêmica e contrato até o final de 2024

Sobre o fato de Guto Ferreira não ter ficado de 2022 para 2023, o CEO se isentou de qualquer responsabilidade, uma vez que a SAF só assumiu o clube a partir de maio, mas fez questão de ressaltar que vê o treinador como parte do projeto até para 2025, mesmo com contrato até o final de 2024 apenas.

“Eu conheço a trajetória dele, sei da capacidade de trabalho e da nossa convicção. Infelizmente, não consigo entender as razões das quais que fizeram ele não ficar no Coritiba. Eu não fazia parte disso. Ele chega com contrato até 2024 por uma questão de negócios, mas queremos que ele fique conosco não só na missão de 2024, mas também no futuro“, finalizou Amodeo.

Guto Ferreira, novo técnico do Coritiba
Guto Ferreira comandou o Coxa em 16 jogos em 2022. Foto: Divulgação/Coritiba

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Após um ano, Coritiba recontrata Guto Ferreira; Dirigente explica retorno e contrato

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.