Uma briga entre moradores de um condomínio do bairro Santa Cândida, em Curitiba, tem tomado conta dos noticiários policiais nos últimos dias. Nesta terça-feira (23), a síndica, alvo de um atentado à casa onde mora, disse que uma briga com um casal de vizinhos é o motivo de tudo. Ela nega ter inimigos. Vídeos de câmeras de segurança mostram um homem quebrando câmeras do condomínio. Outro vídeo, feito pela síndica, mostra uma discussão entre ela e outras moradoras. Veja os vídeos abaixo.

sindica-confusao-condominio-santa-candida-advogado
Foto: Colaboração/Banda B.

O atentado a tiros à casa da mulher aconteceu na madrugada do dia 13 de abril e ganhou repercussão na semana passada, com a divulgação das imagens. Para o delegado responsável pela investigação, Rogério Lopes, as características do crime não são de homicídio, mas sim de “recado” para a vítima.

Adriane Rocha, de 50 anos, a síndica e analista de sinistros, disse que tem recebido ameaças. Ela contou que tudo foi motivado por desavenças sobre a administração no condomínio.

“Eu tenho recebido várias ameaças, há mais de dois anos, por parte de moradores. Tentativa de agressão e agora essa tentativa com todos esses tiros. Eu acredito que é por ter regras no condomínio, multas, pagamento de taxas. Não sou rigorosa, eu cumpro o regimento interno do condomínio, sigo isso e as multas são aplicadas”

comentou Adriana Rocha, síndica.

Segundo a mulher, as ameaças e os “problemas” têm sido ocasionados por um casal. Ela não deu nomes, por isso a reportagem não conseguiu contato dos supostos “rivais” de Adriana.

“Ela e o esposo. Ameaça, quer fazer emboscada, fizeram várias denúncias falando que sou eu que faço denúncias. Falou até que fui ao Conselho Tutelar para denunciar a filha dela, mas não fiz isso […]. É um inimigo específico, porque eu não tenho inimigos, circulo normalmente no condomínio e se não fosse essa moradora a relação seria muito melhor. Essa é a terceira vez que a gente teve as câmeras de segurança quebradas”

disse a síndica.

Atentado a tiros

A síndica é moradora do condomínio desde 2021 e disse que estava dormindo no momento dos tiros. Nas imagens do circuito de monitoramento, é possível ver que o atirador realizou pelo menos sete disparos contra a casa.

“Era 2h da madrugada, foi assustador. Ficamos em pânico, meus filhos em casa também, foi um horror. Não conheço as pessoas que fizeram isso, só tenho a certeza de que foi a mando de morador. Não acredito que tenha sido um recado, mas sim para colocar medo mesmo para que eu desista do cargo de síndico. O casal quer fazer com que a minha imagem fique prejudicada dentro do condomínio”

contou Adriana.

Câmeras de segurança flagraram o momento em que um homem tenta quebrar as câmeras do condomínio. Veja o vídeo:

Defesa quer parar ameaças

A equipe de investigação do 4° Distrito Policial está trabalhando no caso. Os policiais ouviram moradores e conseguiram levantar 55 boletins de ocorrência que teriam, de alguma forma, o envolvimento da síndica. Na maioria deles, a vítima ou denuncia ou indica pessoas pelas quais teria a intenção de processar.

“Os 55 boletins de ocorrência que foram citados pela autoridade policial, nem todos fazem referência a esse fato específico do condomínio. Muitos são outras situações, inclusive a maioria a síndica é vítima nessas situações. Importante esclarecer que o passado referente aos boletins de ocorrência nenhum refere-se a passado criminal. São situações que ela foi vítima e registrou boletim de ocorrência por confiar na autoridade policial”

defende Rodrigo Cunha, advogado de Adriana.

Sobre o ataque, o advogado afirma que as ameaças são de moradores. Segundo ele, inclusive a pessoa que danificou as câmeras era morador ou teve acesso através de um morador.

“É uma suspeita sim, a autoridade policial está investigando. Já constataram que provavelmente há morador, se não cometeu o delito, mas a mando de morador. Quem quebrou as câmeras de segurança tinha tag, entrou, quebrou as câmeras e saiu como se morador fosse. Se não é morador, algum deles forneceu esse acesso para esse criminoso”

disse o advogado de Adriana.

Um vídeo, gravado pela própria síndica, mostra uma discussão entre ela e outras três mulheres. Na imagem, uma das mulheres chega a dizer que Adriana não vai continuar morando no condomínio.

Veja o vídeo abaixo:

O que a defesa quer, é que as ameaças parem e que a polícia evite que algo pior aconteça com Adriana. O advogado afirma ainda que são poucos os moradores contrários à síndica.

“Esperamos que haja justiça, queremos evitar que ocorra uma tragédia, porque percebemos que da forma que está caminhando a situação pode haver uma tragédia. Além de identificar autoria, já configurada materialidade, evitar que ilícitos dessa forma não prossigam. Até porque todos os moradores, em sua grande maioria, 98% deles, apoiam a síndica. São poucos que descumprem as normas do condomínio e promovem esse tipo de situação”

comenta Rodrigo Cunha, advogado de Adriana.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Síndica que sofreu atentado aponta briga com vizinhos como motivo para o crime; imagens mostram discussão

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.