O PSDB formalizou seu convite de filiação aos deputados federais Alexandre Frota (ex-PSL-SP) e Tabata Amaral (PDT-SP) nesta quarta-feira (14). Com o aval de João Doria, o principal líder tucano hoje, membros do partido estiveram em Brasília para conversar com os parlamentares.

Fotos: Antonio Cruz/ Agência Brasil e Agência Câmara

 

Frota foi expulso do PSL na terça (13), por ter feito reiteradas críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e a seu governo. Já Tabata está ameaçada de expulsão do PDT por ter contrariado a orientação do partido e votado a favor da reforma da Previdência. Há um processo contra ela em andamento no Conselho de Ética da sigla.

Segundo a Folha de S.Paulo apurou, Frota se animou com o convite. Como mostrou o Painel, também da Folha de S.Paulo, a migração para o PSDB está nos ajustes finais.

O deputado não foi localizado pela reportagem para comentar o convite tucano. Desde que passou a criticar Bolsonaro, Frota também foi procurado por outros partidos, como DEM, PP, MDB e Podemos.

Já Tabata respondeu que iria pensar a respeito. Sua assessoria de imprensa informou que ela não irá comentar o assunto. No mês passado, quando a deputada votou a favor da reforma e sofreu retaliação por caciques do PDT, como Ciro Gomes e Carlos Lupi, o governador paulista a procurou e defendeu sua filiação ao PSDB. “Troquei mensagens com ela. Ela é rosto, alma e coração do novo PSDB”, disse Doria na época.

A filiação de nomes de relevância como Frota e Tabata serve ao propósito de Doria de renovar e fortalecer a imagem do PSDB -que sofreu sua maior derrota eleitoral em eleições presidenciais com Geraldo Alckmin no ano passado. O governador paulista pretende ser o candidato do partido à Presidência em 2022.

Além de defender uma faxina ética, com afastamento daqueles envolvidos em corrupção, como Aécio Neves (PSDB-MG), Doria tem pregado a filiação de mulheres e jovens no partido, que passou a chamar de “Novo PSDB”.