(Gustavo Oliveira/Londrina EC)

O empresário Sérgio Malucelli, que deverá seguir até o fim da temporada como gestor de futebol do Londrina, defende que as ações na Justiça Desportiva, para os rebaixamentos de Figueirense e Brasil de Pelotas, sejam acatadas para que o “futebol brasileiro seja moralizado”. As medidas salvariam a equipe do interior do Paraná de disputar a Série C em 2020.

Em entrevista à Banda B, Malucelli contestou a decisão do STJD, em janeiro deste ano, que negou a medida cautelar, protocolada pelo Londrina, que pedia que a tabela final da Série B do ano passado não fosse homologada, para que o Figueirense fosse punido com a perda de três pontos, após o W.O dos catarinenses em partida contra o Cuiabá. Os atletas se negaram a entrar em campo após vários meses de salários atrasados. A decisão foi indicada pelo relator do processo, que foi acompanhado por todos auditores do caso.

“Se a CBF quer moralizar o futebol brasileiro, essa é a oportunidade de recolocar o Londrina de volta à Série B. Os casos são muito graves. Os próprios jogadores do Brasil de Pelotas entraram com uma ação contra a falta de pagamentos. Essa é a chance da CBF”, afirmou durante o programa Meio-dia Esportivo.

O gestor também reforçou que, após o fim da temporada de 2020, sairá do comando do Londrina e seguirá para o Araucária Esporte Clube. “Estamos com o time-base pronto do Araucária para a segunda divisão do Paranaense. O projeto segue de pé Assim que for reaberto o futebol, a equipe retornará as atividades”, completou.