Parece brincadeira, mas não é. Um evento organizado pela rede social Facebook levou, segundo estimativas da Polícia Militar (PM), mais de mil jovens para a Rua Elizeu José Hipílito, no Centro de Piraquara, região metropolitana de Curitiba, no último domingo (26). Tudo isso enquanto a cidade contabiliza, em menos de uma semana, três novos casos de coronavírus. Antes o município tinha o mesmo número no período de um mês.

A organização do evento foi pela rede social Facebook, semelhante ao que aconteceu no Festival de Pipas de Curitiba. A Prefeitura de Piraquara acredita em uma maior presença de público que na capital. Vídeo obtido pela Banda B mostra o momento em que a multidão é dispersada pela PM, que conseguiu esvaziar o local:

 

Segundo o coordenador da Fiscalização da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Piraquara, Leandro Giraldi, muitas denúncias sobre a aglomeração passaram a chegar para a administração municipal na tarde de domingo. “Tomamos a atitude de registrar as denúncias e encaminhamos fiscais. Então, fomos até o Batalhão de Polícia de Guarda (BPGD) que nos deu o apoio e daí a rua foi fechada , mas antes disso as pessoas foram saindo, porque sabiam que estavam fazendo coisa errada”, descreveu à Banda B.

De acordo com o coordenador, a intenção agora é evitar que novos eventos assim aconteçam no próximo fim de semana de feriado prologando. “Nós tentamos identificar os organizadores, mas não foi possível. Estima-se que tinha mais de mil pessoas e inclusive agendaram de novo para o próximo domingo, mas estamos, pela nossa Procuradoria Geral, agindo para puni-los, porque isso é proibido por decreto municipal e estadual”, afirmou.

Por fim, Leandro Giraldi fez um apelo para a população. “Nós precisamos do apoio da população, porque se a polícia está em um local eles vão para outros . Isso aconteceu também em outras cidades. A população tem que ter consciência do que está acontecendo. Estão completamente fora da realidade”, lamentou.

Para denúncias em Piraquara sobre aglomerações o número que atende 24 horas é o 3590-3309 ou pelo WhatsApp no 98896-6194.

(Foto: Colaboração)