Um festival de pipas organizado pela rede social Facebook tomou conta de um terreno que pertence a uma construtura na Rua Jornalista Reinaldo Dauchex Pereira, no Neoville, na Cidade Industrial de Curitiba, na tarde deste domingo (26). A aglomeração de jovens em meio à pandemia de coronavírus causou revolta em moradores, que temem que novos eventos aconteçam.

 

Uma moradora que não quis se identificar relatou que o terreno pertence a uma construtora e quem nem mesmo a presença de um batalhão da Polícia Militar inibiu os jovens.

“A preocupação não é por soltarem as pipas. Mas é a questão da aglomeração intensa, do lixo, cerol muito grosso. Ainda, eles ficam batendo o interfone das casas para pedir as pipas. Chegam aqui com som alto e ignoram o coronavírus. O problema não é soltar as pipas, mas o que está gerando estes encontros em massa”, lamentou.

A moradora teme pelo futuro, já que outros encontros estão marcados.

“Nós moradores estamos evitando sair com as crianças e daí vem pessoas de fora fazer esse tipo de aglomeração, talvez por não ser mais possível nos parques. Começou no último feriado da terça-feira e agora é o segundo fim de semana em que acontece isso. Já está até marcado um evento novo para a próxima sexta-feira”, lamentou.

RESPOSTAS

A Banda B pediu respostas para a Prefeitura de Curitiba, Polícia Militar e também para a construtora dono do terreno.

A Prefeitura de Curitiba orientou que as pessoas evitem aglomeração e que, ao saírem de casa, usem máscaras e mantenham a distância de 1,5 a 2 metros. Eventos como esse podem denunciados na Central 156 que fará o encaminhamento.

A respeito do Festival de Pipa realizado no domingo, a incorporadora responsável pelo loteamento esclareceu que não autorizou nenhuma competição em suas dependências, nem tem relação alguma com o evento e que tanto o local como o nome do loteamento foram utilizados indevidamente.

A incorporadora ressalta ainda que abriu chamado junto aos órgãos responsáveis para solicitar a intervenção ao evento, assim como vizinhos do loteamento.

A incorporadora também destaca que qualquer evento nas dependências do loteamento está terminantemente proibido, em função da recomendação dos órgãos de saúde para a contingência e prevenção ao coronavírus (Covid-19), entre elas a aglomeração de pessoas, e que é solidária ao poder público e à população para o combate da pandemia.

Já a Polícia Militar afirmou que o 23º Batalhão foi acionado e os policiais militares orientaram as pessoas a adotarem as medidas sanitárias necessárias para evitar o contágio do coronavírus. Equipes e viaturas acompanharam a atividade ao longo do dia, e não houve registros de ocorrências.