O médico Raphael Suss Marques, acusado de assassinar a fisiculturista Renata Muggiati, em setembro de 2015, prestou depoimento à Justiça na tarde desta quinta-feira (15), em Curitiba. Ele nega que tenha jogado o corpo da namorada pela janela, como aponta denúncia oferecida pela Ministério Público. A tese da defesa sustenta de que o caso se trata de um suicídio.

Foto: Arquivo Banda B

O médico, que está preso desde fevereiro deste ano, não permaneceu em silêncio e respondeu a todas as perguntas durante o interrogatório, conforme o seu advogado de defesa, Edson Abdala. “A juíza determinou o interrogatório e ele seguiu à risca o que determina a lei, apesar de ter o direito do silêncio e de que isso não prejudicasse a sua defesa”, afirmou em entrevista à Banda B.

O processo permanece em segredo de justiça.

Acusação

A assistência de acusação, que é representada pelo advogado Cláudio Dalledone, informou que a família aguarda que Raphael seja levado a júri o quanto antes. Para a acusação, o processo se mostra maduro para debate em plenário. Na opinião da família, não há duvidas da autoria e fatos que levaram à morte de Renata Muggiatti.

Caso Renata Muggiati

Renata Muggiati morreu no dia 12 de setembro de 2015, após supostamente cair do 31° andar do prédio onde vivia. Inicialmente o caso foi tratado como suicídio, mas novos fatos apontaram para a possibilidade de um crime.

Poucos dias depois, a Justiça do Paraná decretou a prisão temporária de Suss pela morte da fisiculturista. O Instituto Médico Legal indicou que a morte de Renata aconteceu por asfixia e não pela queda.