Dupla presa no Tatuquara nesta segunda-feira – Foto: Colaboração

Do inferno ao céu. Assim dá para definir as últimas horas para um comerciante do bairro Tatuquara, em Curitiba. Ele foi assaltado no momento em que saía do banco nesta segunda-feira (18) por dois homens armados. Ele tinha acabado de sacar R$ 33 mil referente ao movimento de sua loja e todo o dinheiro foi levado. A dupla foi presa logo em seguida após perseguição de guardas municipais. O dinheiro foi devolvido ao dono e nesta terça-feira, a Guarda Municipal e policiais civis do 1º Distrito Policial falaram sobre a prisão. A dupla presa faz parte de uma quadrilha que já praticou ao menos 15 assaltos nas ‘saidinhas de banco’ na região de Curitiba.

“Este grupo já tinha feito um assalto na sexta-feira (15), no Centro de Curitiba, houve confronto e um deles foi preso. Passou o fim de semana e já na segunda-feira o restante da quadrilha resolveu agir de novo usando a mesma moto identificada no assalto de sexta-feira. Ontem prendemos dois e na sexta o primeiro. Temos identificados outros membros da quadrilha e logo vamos prendê-los. Este é um importante trabalho conjunto da GM com a Polícia Civil e Militar”, afirmou o delegado Gil Tesseroli, do 1º Distrito Policial.

Segundo o delegado, a quadrilha agia de modo tradicional mirando em clientes de bancos que faziam altos saques. “Eles colocam um dos integrantes bem vestido dentro do banco prestando atenção em quem faz altos saques. Quando o cliente sai, acaba abordado pela quadrilha, geralmente de moto. Eles são na maioria de São Paulo. Praticam assaltos durante a semana em Curitiba e passam os finais de semana na capital paulista”, completou o delegado.

O diretor-gral da GM, Odgar Nunes, disse que o comerciante pediu socorro para a Guarda logo após o assalto. “Uma equipe da guarda fazia o patrulhamento preventivo na região do Tatuquara quando foi acionada pelo comerciante que veio pedindo socorro. A equipe localizou a moto e começou a perseguição. Um deles ainda ameaçou atirar, mas eles acabaram caindo da moto e a prisão foi feita. Devolvemos o dinheiro para o comerciante que agradeceu muito”, disse o diretor.

A polícia orienta que o cliente evite fazer grandes saques em espécie na boca do caixa. Mas se for necessário, não falar alto o valor que está sacando e sempre prestar muita atenção em quem está ao redor na agência.

Os dois homens presos nesta segunda-feira e o que foi preso na sexta seguem detidos no 1º DP.

 

Notícia Relacionada: