Redação

Novas reuniões acontecem na próxima semana. Foto: Reprodução

O estudo que prevê a instalação de câmeras de monitoramento dentro dos ônibus do transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana teve mais um avanço na tarde desta quinta-feira (3). A reunião convocou representantes do Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc), Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Urbs, Polícia Militar, Polícia Civil, Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (Setransp), Secretaria Municipal de Defesa Social e Metrocard. A motivação para a discussão é o aumento da violência, como arrastão, dentro dos ônibus.

Na ocasião, Urbs, Comec e Governo do Estado apresentaram o andamento do estudo de viabilidade para instalação das câmeras e discutiram com todos os envolvidos as questões técnicas como número de câmeras e forma de monitoramento.

“É preciso ressaltar que as câmeras de segurança são uma forma de coibir e diminuir a ação dos marginais. A impunidade é o faz com que os bandidos não tenham medo de agir”, afirma Anderson Teixeira, presidente do Sindimoc.

Após a formalização e credenciamento dos membros do comitê, também foi discutido sobre o andamento da campanha de orientação para trabalhadores e usuários do transporte. A ideia é ensinar procedimentos de segurança em casos de arrastões e salientar a importância do registro dos Boletins de Ocorrência, para facilitar a programação tática de ações da segurança pública. Haverá nova reunião nas próximas semanas.