Redação

Após a Vara Criminal de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, determinar o afastamento, por 90 dias, de um delegado da Polícia Civil denunciado por peculato, a Corregedoria Geral da Polícia Civil divulgou nota nesta quarta-feira (20) informando que instaurou na época dos fatos, uma investigação preliminar que tramitou paralelamente ao procedimento investigatório criminal instaurado pelo Gaeco. Segundo a Corregedoria, a investigação levou a um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta do delegado Osmar Feijó, o qual foi judicialmente afastado de suas funções, já na sexta-feira (15), por 90 dias. O nome do delegado foi divulgado em nota pela Corregedoria.

O delegado, na época lotado na delegacia de Piraquara, está sendo investigado administrativamente com pena prevista de demissão, por praticar crime contra administração pública, ou seja, pelo crime de peculato que é quando a pessoa se apropria de bens públicos.
No período das investigações, um veículo, modelo BMW foi apreendido, na casa do pai do delegado em Curitiba, durante apurações de um caso de homicídio na região.

Segundo o Gaeco, o veículo da marca BMW desapareceu da delegacia de Piraquara após passar por perícia, durante apurações de um caso de homicídio. Posteriormente, as investigações apontaram que o carro foi levado pelo delegado e escondido em Curitiba, onde ficou por quase dois anos.
Além de não ter formalizado um pedido de busca e apreensão e nem efetuado a devolução do veículo, o acusado não comunicou o paradeiro do carro à Justiça e ao delegado que assumiu a delegacia posteriormente. Constatou-se, ainda, que o veículo foi lavado, o que impediria eventual produção de contraprova, se fosse necessário, para o caso de homicídio que estava sendo investigado.

Em nota, a direção da Polícia Civil enfatiza que qualquer ato em desconformidade com as regras de conduta contidas nas leis e no estatuto da Polícia Civil será rigorosamente apurado pela instituição.