O novo Informe Epidemiológico, da Secretaria de Estado de Saúde do Paraná, que registra ocorrências de sarampo entre as semanas 31 a 39 (28 de julho a 28 de setembro), retrata a situação do rápido crescimento da quantidade de pacientes: mais 20 casos foram confirmados, agora já são 59 pessoas com a doença.

Foto: Reprodução AEN

“Estamos em alerta extremo por causa da situação do sarampo. Essa é uma doença viral de fácil transmissão e com possibilidades sérias de comprometimento da saúde do paciente”, alertou o o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Além dos 59 casos confirmados, 270 estão em investigação e 47 foram descartados. Os municípios que registram ocorrência da doença são: Campina Grande do Sul (1 caso), Campo Largo (1), Colombo (3), Curitiba (45), Fazenda Rio Grande (1), Jacarezinho (1), Pinhais (2), Ponta Grossa (2), Maringá (2), Rolândia (1) e São José dos Pinhais (1).

Adultos jovens, com idade entre 20 e 29 anos, continuam sendo a maioria dos casos registrados de sarampo.

Vacinação

A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo inicia na próxima segunda-feira (7) e está dividida em duas etapas. Entre os dias 7 e 25 de outubro o objetivo é ampliar a vacinação em crianças de seis meses e menores de cinco anos, com o dia D no sábado, 19 de outubro.

O grupo de adultos jovens, com idade entre 20 e 29 anos, é o público-alvo da segunda etapa da campanha, que acontecerá de 18 a 30 de novembro, com o dia D no sábado, dia 30.

“Chamamos a atenção de cada um dos paranaenses para a vacinação, é a única forma de prevenir o sarampo. O Ministério da Saúde promove esta campanha primeiramente com foco nas crianças de seis meses a menores de cinco anos, mas importante salientar que todos que ainda não estão vacinados também devem tomar as doses da vacina”, reforça o secretário estadual.

Cenário nacional

O Boletim Epidemiológico emitido pelo Ministério da Saúde com dados até a semana 39 informa que em todo o Brasil são 22.881 casos em investigação, 6.640 casos confirmados e 9.352 já descartados. Os pacientes estão distribuídos em 19 estados brasileiros. Até 28 de setembro seis pessoas morreram em decorrência do sarampo. Cinco pacientes moradoras de São Paulo e uma do Estado de Pernambuco.

Doença

O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações decorrentes do sarampo são mais graves em crianças menores de cinco anos e podem causar meningite, encefalite, pneumonia, entre outras. O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e espirro. As micropartículas virais ficam suspensas no ar, por isso o alto poder de contágio da doença.

Sintomas

Os sintomas mais comuns são: febre alta, tosse, coriza, conjuntivite, exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo), outros sintomas como cefaléia, indisposição e diarréia também podem ocorrer. Como não existe tratamento específico para o sarampo, é importante ficar atento com o aparecimento dos sintomas. Os doentes ficam em isolamento domiciliar ou hospitalar por um período de sete dias a partir do aparecimento das manchas vermelhas no corpo.

“Aqueles que tiverem sintomas procurem o quanto antes o serviço médico para que seja avaliado e, se for o caso, notificar a suspeita. E hoje mudamos a nossa percepção: a pessoa não precisa mais viajar para São Paulo ou outro estado para estar em risco, o vírus já circula aqui no Estado, principalmente em Curitiba e Região Metropolitana”, exemplifica o chefe da Divisão de Vigilância das Doenças Transmissíveis da Sesa, Renato Lopes.