Usar gel antibacteriano à base de álcool ou lavar as mãos? Qual é a melhor opção contra o coronavírus? Essa é a pergunta que muitas pessoas estão se fazendo com a disseminação do coronavírus pelo mundo.

Com medo de contágio, os géis antibacterianos, também chamados de desinfetantes para as mãos, tornaram-se produtos preciosos.

A demanda disparou em todo o mundo. Em países como o Reino Unido, algumas farmácias anunciaram que estão racionando as vendas desses produtos.

O álcool em gel são realmente efetivos contra o coronavírus?

Tanto o Serviço Nacional de Saúde (NHS) no Reino Unido quanto os Centros de Controle de Doenças (CDC) nos Estados Unidos sublinham que a melhor maneira de prevenir a doença é evitar a exposição ao vírus.

E, para as entidades, uma série de medidas preventivas deve ser seguida, como cobrir a boca com um lenço de papel ao tossir ou espirrar e descartar o tecido no lixo.

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

As agências de saúde também recomendam lavar as mãos com frequência usando água e sabão, especialmente depois de usar o banheiro, antes de comer e depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar.

Essa lavagem das mãos deve durar pelo menos 20 segundos e o sabão deve cobrir as palmas e as costas das mãos e entre os dedos, incluindo o polegar.

E sobre o papel do álcool em gel, é isso que o CDC diz:

“Use desinfetante para as mãos quando água e sabão não estiverem disponíveis.”

E acrescenta: “lavar as mãos com água e sabão é a melhor maneira de se livrar de germes na maioria das situações”.

“Se água e sabão não estiverem disponíveis, você pode usar um desinfetante para as mãos que contenha pelo menos 60% de álcool”, informa a entidade americana.

“Você pode saber se o desinfetante contém pelo menos 60% de álcool olhando o rótulo do produto”, diz a agência.

Para ler a matéria completa clique aqui.