A notícia mais aguardada no mundo é, quando, finalmente, uma vacina segura e eficaz contra a Covid-19 será registrada para que se comece a imunização em massa da população. Mas, para que isso aconteça, a realização e apresentação dos resultados dos ensaios clínicos da fase 3 são obrigatórios.

 

Foto: Reprodução

 

As candidatas a vacina mais adiantadas estão na fase 3 de testes, quando são aplicadas em milhares de pessoas. Nesta etapa, os voluntários são divididos em dois grupos: um deles recebe a fórmula que produz resposta imunológica e o outro, um placebo.

Durante a fase 3, é necessário que os voluntários tenham contato com o coronavírus em sua vida cotidiana e que aqueles que receberam a imunização não desenvolvam a doença. Os resultados entre o grupo que tomou a vacina e o grupo que tomou o placebo são comparados e a fórmula tem que apresentar vantagem para os que a receberam.

Na etapa anterior, conhecida como fase 2, a imunização é aplicada em algumas pessoas e, passado um tempo, as amostras do plasma sanguíneo delas são examinadas para verificar se houve produção de anticorpos eficientes contra o Sars-CoV-2. Neste momento, o confronto entre o vírus e os anticorpos acontece na bancada do laboratório por isso não dá para ter certeza de que a imunização funcionará em um cenário real.

Para ler a matéria completa no Portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.