A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) disse nesta quarta-feira (22) que vai processar o ministro da Educação, Abraham Weintraub, por danos morais.

Segundo ela, a decisão ocorre após ele distribuir documentos com seu número de telefone pessoal e números de telefone de membros da sua equipe visíveis durante reunião na comissão de educação.

Reprodução/Instagram

“Estou entrando com um processo contra o senhor por distribuir em uma comissão pública ‘prints’ não apenas com meu número pessoal e da minha equipe, mas com mentiras. Isso é um constrangimento. Isso não é uma atitude de um ministro.”

Mais cedo, a parlamentar havia cobrado o ministro por não tê-la recebido no ministério, após ela solicitar informações sobre o planejamento estratégico da pasta.

Weintraub rebateu e disse que havia enviado quatro convites à deputada. “Sua equipe talvez não tenha passado para a senhorita. Mas aí é uma questão de gestão da equipe da senhorita”, acusou.

Em seguida, ele disse que iria colocar os pedidos no Twitter, ao que a deputada pediu que os documentos fossem entregues diretamente a ela ainda na comissão. O ministro então disse que iria distribuir cópias dos convites no local.

Ao ver os documentos, Tabata disse que, além de expor seus dados, os convites foram feitos pela gestão anterior, e não pela atual.

“As três datas que vieram foram da gestão do Vélez. Pelo menos faça as contas para não passar constrangimento”, disse a Weintraub. O ministro não respondeu.