Foto foi tirada por uma das vítimas pouco antes de os assassinos chegarem. (Foto: Divulgação/PM)

 

Seis jovens entre 16 e 23 anos foram executados na noite de sexta-feira (22), na periferia de Extremoz, na Grande Natal. As vítimas faziam uma confraternização quando foram surpreendidas por dez homens vestidos de preto, que chegaram em carros, armados de pistolas e espingardas calibre 12. Ninguém foi preso até ontem à noite e não há pistas sobre os suspeitos.

Segundo a Polícia Civil, todas as vítimas estavam de bruços e tinham marcas de tiros na nuca e na cabeça, o que configura a execução. Familiares não detalharam as possíveis causas do crime e se os rapazes mortos tinham envolvimento com o tráfico de drogas.

A chacina reuniu vários curiosos e houve alteração da cena do crime. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de os crimes terem relação com o tráfico e a guerra entre facções criminosas, que atuam na disputa dos pontos de vendas de entorpecentes no Estado.

Com as mortes de anteontem, o Rio Grande do Norte registra 14 chacinas em um ano, incluindo o massacre no Complexo Prisional de Alcaçuz, em janeiro, quando 26 presos foram mortos – muitos decapitados – em 14 dias de confrontos entre facções. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.