Cozinheiro fica um mês preso por engano; saiba por qual crime ele foi acusado (Foto: Reprodução Extra)

 

Um cozinheiro de 26 anos ficou preso por engano durante um mês acusado de participar da guerra do tráfico na Rocinha. O jovem, segundo documentos anexados ao processo judicial sobre a invasão da favela, trabalha há três anos num restaurante na Barra da Tijuca, no turno das 17h à 0h, e, na madrugada de 17 de setembro, horas antes dos confrontos, havia acabado de sair do trabalho. Naquele dia, ele chegou em casa por volta das 2h — quatro horas antes do início da invasão.

O jovem foi preso no dia 22 de outubro. Na ocasião, ele voltava para casa do trabalho, com uniforme de cozinheiro na mochila, quando foi abordado por PMs, que constataram que havia um mandado de prisão temporária contra ele. A ordem foi expedida pela Justiça com base na investigação da 11ª DP (Rocinha) sobre a invasão da favela, que identificou mais de 60 traficantes. No inquérito, três testemunhas o apontam como integrante do tráfico.

Para ler a matéria completa no Extra clique aqui.