Florianópolis, que chegou a ficar um mês sem mortes por Covid-19, viu seus índices piorarem e, por isso, terá medidas mais restritivas a partir de quarta-feira (24). Entre as mudanças está o aumento de dez vezes do valor da multa para quem não usa máscara.

Se antes o valor era R$ 125, agora será R$ 1.250. Casos reincidentes podem acarretar multas de até R$ 2.500,00. Esse também é o valor mínimo para empresas que descumprem os protocolos. A população pode denunciar o descumprimento no site da prefeitura.

Praias cheias em Florianópolis no fim de semana – reprodução TV Globo – NSC/SC

O prefeito, Gean Loureiro (DEM), reclamou da irresponsabilidade de parte da população. “Esse final de semana foi um exemplo. Está havendo abuso, irresponsabilidade. Resultado: número de doentes, que vinha caindo, subiu de 100 para mais de 300 ;em UTIs, o número de internados dobrou. No Hospital Regional de São José, a UTI atingiu 100% da sua capacidade”, disse Loureiro ao anunciar medidas.

Entre as restrições está o fechamento total de academias e shoppings. Também está vetada a permanência na orla praia, exceto para esportes náuticos e pesca. Áreas de lazer, como a avenida Beira-Mar Norte e a ponte Hercílio Luz, ficarão fechadas nos finais de semana, quando vinha ocorrendo aglomeração.

“É motivo de pânico? Não. Mas, se não tomarmos medidas fortes agora, a situação pode fugir do controle. Como prefeito responsável por essa cidade até dezembro, não vou pagar para ver”, acrescentou Loureiro.

O comércio de rua seguirá aberto, seguindo os protocolos. Restaurantes poderão atender somente das 11h às 15h durante dias úteis. No final de semana, apenas retirada e tele-entrega estão autorizadas.

“Não é hora de lazer, mas de proteção e consciência”, disse o prefeito.

As medidas serão revisadas em 15 dias, segundo a prefeitura.