Cientistas relatam que tipo sanguíneo de paciente de covid-19 tem menor interferência do que se avaliava na infecção ou piora do quadro da doença causada pelo coronavírus.

picture-alliance/dpa/U.S. National Guard (via DW)

 

Em junho, o The New England Journal of Medicine publicou que pessoas com tipo A correm risco maior de desenvolver sintomas mais intensos quando infectadas pelo coronavírus. Pesquisadores analisaram 4.000 pessoas.

Mas estudos publicados pelo Hospital Geral de Massachusetts e outro pelo Hospital Presbiteriano de Columbia (1 Mb), em Nova York, não demonstram que o sangue tipo A aumenta as chances de as pessoas serem infectadas ou terem piora no quadro.

Os dados levam a acreditar que pessoas com sangue tipo O podem ter menos probabilidade de serem contaminadas. Mas o efeito é pequeno e as pessoas não devem contar com isso, segundo os pesquisadores.

“Mostramos por meio de um estudo multi-institucional que não há razão para acreditar que um determinado tipo sanguíneo ABO levará a um aumento da gravidade da doença, que definimos como requerendo intubação ou levando à morte“, disse Anahita Dua, pesquisador do estudo de Massachusetts.

A pesquisa avaliou 1.289 pacientes adultos sintomáticos que deram positivo para covid-19 foram selecionados em 5 hospitais da região de Boston. Eles foram tratados de 6 de março a 16 de abril.

Para ler a matéria completa no Poder 360 clique aqui.