O Campeonato Paranaense pode não ser unanimidade entre clubes e torcedores. Mas não dá para negar que ele mexe com o emocional de quem o acompanha, seja para criticar o regulamento, para lamentar um gol perdido ou comemorar um título. Este foi o último ano que a competição teve o “Supermando”, afinal a Federação Paranaense de Futebol prometeu mexer na fórmula do campeonato para o ano que vem.

E em 2010 teve de tudo: W.O, goleadas, 100% de aproveitamento no supermando e o Coritiba como o grande campeão, conquistando seu 34ª título estadual. Abaixo listamos alguns momentos marcantes deste Paranaense. Não tem como falar de tudo o que aconteceu, mas sem dúvida os pontos relacionados fizeram a diferença neste ano.

1. Coritiba 2 x 0 Serrano – 1ª rodada (16/01/2010)
O Coritiba ainda estava se encorpando para a disputa do estadual, porém, com esta vitória logo na abertura do campeonato, o Coxa assumiu a liderança e de lá nunca mais saiu. Era o pontapé inicial de uma campanha impecável, liderada de ponta a ponta, e que só poderia terminar em título.

2. Atlético 1 x 2 Operário – 2ª rodada (20/01/2010)
O Atlético já não tinha começado bem o campeonato, com um empate em 1 x 1 contra o Toledo. Logo na primeira partida em casa no ano, o Furacão foi surpreendido pelo Operário e acabou derrotado por 2 x 1, de virada. Foi a quebra de uma invencibilidade de 11 jogos na Arena da Baixada, que já durava cinco meses. Era indício também de que o time não era tão bom quanto a diretoria dizia.

3. Atlético 8 x 0 Serrano – 3ª rodada (23/01/2010)
Foi a maior goleada do campeonato de 2010. Serviu para lavar a alma rubro-negra depois de um início ruim, com uma derrota e um empate. Com esse placar, o Furacão repetiu o maior placar da história da Arena, que tinha acontecido em 2007, também um 8 x 0 sobre o Iguaçu, de União da Vitória. O time do Serrano estreou na primeira divisão do estadual, mas não conseguiu fazer boa campanha e acabou rebaixado para a Série Prata.

4. Coritiba 0 x 1 Paraná – 9ª rodada (21/02/2010)
Primeiro clássico Paratiba do ano e também única derrota do Coritiba no campeonato inteiro. O jogo foi no estádio Caranguejão, em Paranaguá, porque o Couto Pereira ainda estava interditato pelo STJD. A partida foi equilibrada, mas o Tricolor saiu vitorioso com um bonito gol de Márcio Diogo.

5. Coritiba 4 x 1 Nacional – 10ª rodada (28/02/2010)
Não que a partida valesse muito, o que marcou foi o retorno do Coritiba ao Couto Pereira, depois de 85 dias afastado do estádio, por causa da interdição imposta pelo STJD. Tudo por causa da confusão generalizada da torcida alviverde em dezembro de 2009, quando o time foi rebaixado à Série B, e um grupo de torcedores invadiu o gramado e protagonizou um quebra-quebra. Na partida contra o Nacional, público modesto, de pouco mais de 5 mil pessoas, porém nada de brigas, apenas torcedores voltando para casa com uma bela vitória nas costas.

6. Atlético 1 x 1 Coritiba – 11ª rodada (07/03/2010)
Primeiro Atletiba do ano e péssimo resultado para o Atlético. Era a chance do Furacão de encostar no Coritiba na tabela, porém, o rubro-negro jogou mal e deixou-se envolver pelo rival mesmo jogando na Arena da Baixada. O resultado podia ter sido muito pior para o Atlético, mas foi satisfatório para o Coritiba, que se manteve na liderança do campeonato. O empate instalou uma crise no CT do Caju: Antonio Lopes foi demitido no dia seguinte e saiu reclamando da forma como foi mandado embora e acusando Ocimar Bolicenho de ter feito complô para derrubá-lo. O então auxiliar técnico do clube, Leandro Niehues, assumiu o comando do time até o final do Paranaense.

7. Iraty 1 x 0 Atlético – 12ª rodada (13/03/2010)
Segunda derrota do Furacão no estadual e primeira partida sob comando de Leandro Niehues. O Atlético não jogou mal, mas falhou demais e permitiu que o Azulão vencesse. Essa derrota afetou o Coritiba, que se firmou como vencedor da primeira fase do campeonato e ainda garantiu o supermando para a fase final. Isso porque o Verdão tinha 26 pontos, 4 a mais que o rival, faltando uma rodada para o fim do primeiro turno. Com isso, o alviverde mandou a campo um time reserva para enfrentar o Cascavel na última rodada, e poupou os titulares de viajarem até o interior do estado. O jogo acabou empatado em 0 x 0.

8. Corinthians 3 x 0 Engenheiro Beltrão – 13ª rodada (21/03/2010)
Talvez o momento mais bizarro de todo o Campeonato. Durante a semana anterior ao confronto, o presidente do Engenheiro Beltrão, Luiz Linhares, reclamou que a FPF deveria cerca de R$ 13 mil reais ao clube, referente a placas de publicidade. Linhares disse ainda que como o rebaixamento da equipe era inevitábel, o Engenheiro Beltrão não teria dinheiro para viajar até Curitiba para enfrentar o Corinthians. No dia do jogo, ninguém sabia se o time apareceria ou não. O Timãozinho entrou em campo e nada do adversário. O trio de arbitragem esperou os 30 minutos determinados pelo regulamento da FPF para, enfim, confirmar o W.O. e dar a vitória por 3 x 0 (1 gol para cada 10 minutos de espera) ao Corinthians.

9. Toledo 1 x 2 Paraná – 13ª rodada (21/03/2010)
Um dos jogos mais dramáticos do estadual, que terminou com o rebaixamento do Toledo para a Série Prata. O Porco não podia perder, e contava com o apoio da torcida para esta missão. O jogo estava empatado, até os 43 do segundo tempo, quando Davis marcou o segundo gol tricolor. Aos 48, pênalti para o Toledo. Leandro Bocão ia cobrar, se ele marcasse, o Toledo não seria rebaixado, e quem caía seria o Rio Branco. Porém, o atacante bateu mal, Juninho defendeu, selando a vitória paranista e a queda do time do interior.

10. Operário 2 x 2 Cascavel – 1ª rodada da segunda fase (24/03/2010)
Outro momento tão bizarro quanto o W.O. O jogo entre Operário e Cascavel acontecia debaixo de muita chuva em Ponta Grossa. Até que o gramado ficou inutilizável e o árbitro optou por paralisar a partida aos 31 minutos do primeiro tempo, quando o placar estava 1 x 1. Até aí tudo bem, o jogo foi remarcado para a semana seguinte, em dia que teriam partidas da Copa do Brasil. No entanto, a polêmica estava instalada em torno do jogador Ceará, do Operário. Na primeira parte do confronto, ele recebeu seu terceiro cartão amarelo, o que o deixaria suspenso para o próximo jogo do Fantasma. E foi o que aconteceu: Ceará não atuou no dia 28, no duelo contra o Iraty. No entanto, de acordo com o regulamento geral de competições da FPF, um jogador que recebesse o terceiro amarelo em uma partida interrompida não poderia voltar a campo quando este jogo recomeçasse. Ou seja, Ceará não poderia atuar nos 59 minutos restantes contra o Cascavel, e o Fantasma teria que jogar com 10 em campo. Houve muita reclamação da diretoria do time de Ponta Grossa, alegando que eles não tiveram nenhum atleta expulso e, por isso, seria injusto atuar com um a menos. A FPF não se pronunciou para resolver o caso. Então, o Operário adotou uma medida que acabou dando certo: substituiu Ceará por Rafael antes do reinício da partida, e assim teve um time completo em campo. Nos 59 minutos finais, nada de confusão, mais um gol para cada lado e o jogo terminou em 2 x 2.

11. Coritiba 1 x 0 Paraná – 1ª rodada da segunda fase (25/03/2010)
Como o Paraná havia terminado a primeira fase na 4ª colocação, acabou sendo o primeiro adversário do Coritiba no octogonal final. Um clássico decisivo logo no início da segunda fase. Um empate ou uma derrota e o Atlético passaria o Verdão na tabela, acabando com a vantagem de 2 pontos de bonificação que o alviverde havia conquistado junto com o supermando. Marcos Aurélio perdeu um pênalti, defendido por Juninho. Quando o jogo caminhava para o 0 x 0, brilhou a estrela do argentino Ariel. Ele saiu do banco e marcou o único gol da partida, iniciando a caminhada do Coritiba rumo aos 100% de aproveitamento no supermando, além do título.

12. Coritiba 2 x 0 Atlético – 6ª rodada da segunda fase (18/04/2010)
Era a grande final do Paranaense. Durante toda a segunda fase, Atlético e Coritiba venceram todos os jogos e o Furacão seguia na cola do rival, com apenas 1 ponto de diferença. Quem vencesse seria o campeão. Muita rivalidade e provocações entre jogadores e torcida durante a semana. Em campo, um jogo muito quente e movimentado. Marcos Aurélio e Geraldo marcaram e deram o título ao Coritiba. A taça significava a volta por cima depois do rebaixamento para a Série B. Além do que, desde 1978, o Coxa não conquistava um título em cima do Atlético no Couto Pereira. Festa da torcida alviverde depois de uma campanha perfeita no estadual.

13. Coritiba 2 x 1 Cascavel – 7ª rodada da segunda fase (24/04/2010)
O jogo não valia mais nada, mas a vitória com o time titular em campo serviu para confirmar o 100% de aproveitamento do campeão paranaense na segunda fase. Foram 7 jogos no Couto Pereira e 7 vitórias.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Relembre os principais momentos do Paranaense

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.