Foto: Reprodução/Facebook Cascavel CR

Anunciado em dezembro do ano passado pelo Cascavel Clube Recreativo, o técnico Luis Miguel é mais um profissional ‘importado’ de Portugal para o futebol brasileiro. Mas, ao contrário de Jorge Jesus e Jesualdo Ferreira, que chegaram na temporada passada em Flamengo e Santos, o treinador já trabalha no Brasil desde 2006, com passagens por clubes do Norte e Nordeste brasileiro. Ele terá agora um grande desafio no Cascavel CR, clube com um dos orçamentos mais baixos do futebol paranaense.

O profissional, de 47 anos, conversou com a Banda B e contou detalhes da ambientação no oeste do Paraná e também da preparação para a temporada 2020. “Estou no Brasil há quase quinze anos e já rodei clubes como Imperatriz e Moto Clube, do Maranhão, e também o Tiradentes, do Ceará. Cheguei em Cascavel e gostei muito, é uma cidade com nível europeu e com muita segurança”, afirmou.

“Nosso objetivo no Paranaense é a manutenção na primeira divisão, mas pensamos em algo a mais, se conseguirmos bons resultados. Temos o orçamento mais baixo do torneio, então lutamos dia-a-dia para ter um grupo mais forte e competitivo”, revelou Luis Miguel.

Sobre a troca de experiências entre treinador brasileiro e portugueses, o comandante do Cascavel vê esse movimento como positivo para ambos os lados. “No caso de Jesus e Jesualdo, são dois técnicos consagrados em Portugal que vêm em busca de vitórias no Brasil. Mas isso não quer dizer que os brasileiros não têm qualidade, pelo contrário. Essa junção de forças vai contribuir demais para o futebol daqui”, completou.

O Cascavel CR estreia no fora de casa, no próximo domingo (19), diante do Operário, às 18h, no Estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa.