O Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 1,1 ponto na passagem de novembro para dezembro, para 96,1 pontos, na série com ajuste sazonal, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Em médias móveis trimestrais, o índice teve alta de 0,7 ponto, mantendo a tendência ascendente iniciada em julho deste ano.

“A confiança de serviços encerra o ano de 2019 em trajetória ascendente, registrando o maior nível desde fevereiro de 2019. A alta em dezembro foi influenciada principalmente pela melhora da percepção dos empresários sobre a situação atual, sugerindo que o volume de serviços deve ter um resultado favorável no último trimestre do ano e com empresários mais otimistas com a continuidade da recuperação gradual do setor nos primeiros meses de 2020”, avaliou Rodolpho Tobler, economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/GV), em nota oficial.

Em dezembro, o Índice de Situação Atual (ISA-S) avançou 1,8 ponto, para 93,6 pontos, maior nível desde junho de 2014, quando estava em 94,3 pontos. No ano de 2019, o ISA-S acumulou uma alta de 5,1 pontos.

Já o Índice de Expectativas (IE-S) subiu 0,4 ponto em dezembro, para 98,8 pontos, aproximando do nível neutro de 100 pontos. O IE-S, porém, acumulou uma queda de 2,1 pontos em 2019.

Confiança comércio

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 0,3 ponto na passagem de novembro para dezembro, para 98,1 pontos, também informou a FGV.

No índice de médias móveis trimestrais, o indicador subiu 0,3 pontos em dezembro, após uma queda em novembro.

“O comércio encerra 2019 com uma acomodação da confiança em patamar próximo aos 100 pontos. Apesar da melhora da percepção dos empresários sobre o ritmo de vendas no momento presente, empresários se mostram cautelosos com a sustentabilidade da recuperação do setor nos próximos meses. A continuidade e a velocidade da recuperação vão depender de uma melhora mais expressiva da confiança dos consumidores e do mercado de trabalho”, avaliou  Tobler.

Em dezembro, o Índice de Situação Atual (ISA-COM) subiu 0,9 ponto, para 95,8 pontos, maior patamar desde dezembro de 2018, quando estava em 97,1 pontos. Já o Índice de Expectativas (IE-COM) recuou 0,4 ponto, no terceiro mês de quedas consecutivas, para 100,5 pontos. Apesar dos recuos recentes, o IE-COM se mantém acima do nível neutro de 100 pontos desde julho de 2019.

“Depois de registrar ritmo fraco no início do ano, em especial o segundo trimestre, a confiança do comércio voltou a crescer nos dois últimos trimestres de 2019. O avanço foi influenciado pela melhora do ISA-COM, que subiu 6,1 pontos no segundo semestre, mostrando uma recuperação no ritmo de vendas do setor devido à influência da liberação de recursos do FGTS. Já as expectativas continuam acima dos 100 pontos, mas voltaram a recuar no quarto trimestre indicando continuidade da recuperação ainda em ritmo gradual”, ressaltou a FGV, em nota.

A coleta de dados para a edição de dezembro da Sondagem foi realizada entre os dias 2 e 20 do mês e obteve informações de 805 empresas.