Cinco anos após a sua intensa passagem pela capital paranaense, Roger Waters retornou a Curitiba neste sábado (4), com a turnê This Is Not A Drill, na Arena da Baixada. O show, com 24 grandes canções que marcaram seus quase 60 anos de carreira, seja com o Pink Floyd ou até mesmo em carreira solo. Aos 80 anos, Roger Waters mostrou, mais uma vez, que música e política podem, sim, ter tudo a ver. Veja fotos e vídeos abaixo.

Se, em 2018, Roger Waters se apresentou em Curitiba em meio a uma forte polarização política, desta vez o cenário é ainda pior: não temos disputas eleitorais como protagonistas da ação, mas vivenciamos uma guerra que oferece, a cada dia, novos e dolorosos episódios. E nunca a obra da antiga banda de Waters, Pink Floyd, fez tanto sentido quanto agora.

Conhecido pelo forte discurso político e humanitário, Waters vem sendo acusado por muitos de usar a sua ideologia em detrimento da arte. Porém, é só assistir aos primeiros minutos do show que entendemos, perfeitamente, o sentido da persona tão polêmica do músico.

Ao contrário da sua última passagem pelo Brasil, os ânimos estiveram bem tranquilos durante a apresentação (salvo um ou outro comentário solitário que pouco reverberou). Roger Waters promoveu aquilo que um bom show de rock tem a obrigação de fazer: a união momentânea entre os mais diferentes grupos de pessoas.

Mega estrutura

O show começou antes mesmo de o artista subir ao palco. Isso porque o baque inicial já se deu através da estrutura do palco, dividido em quatro telas, com o palco ao centro, vagamente lembrando um teatro.

Do início ao fim, o show foi marcado por discursos enfáticos contra a guerra, o preconceito, a intolerância, o capitalismo e o fascismo, emulados por trechos de vídeos dos próprios integrantes do Pink Floyd, animações, imagens de diferentes povos, entre outras imagens polêmicas.

Costurando a pirotecnia do show com as abordagens de cada música, Waters proporcionou um roteiro envolvente e impecável, mostrando que a arte (pura e simples) está acima de qualquer ideologia política.

roger-waters-em-curitiba-foto-lucas-sarzi (1)
Foto: Lucas Sarzi/Banda B.

Grandes clássicos

Em um cenário sombrio e distópico, o artista executou, de início, duas das canções mais importantes do Pink Floyd: “Comfortably Numb “e “Another Brick In The Wall”. Também teve espaço para composições de sua carreira-solo, assim como canções que levantaram (ainda mais) a energia do público, como o hino “Wish You Were Here” e a impactante “Shine On You Crazy Diamond”.

Waters arriscou a apresentação até de uma composição inédita: The Bar. Dividido em dois atos, o primeiro encerrou-se com a clássica “Sheep”, contando com a “participação” especial do inflável de uma ovelha, e homenagens aos escritores George Orwell e Aldous Huxley.

Veja a setlist completa do show de Roger Waters em Curitiba:

  • Parte 1:
    Comfortably Numb
    The Happiest Days of Our Lives
    Another Brick in the Wall, Part 2
    Another Brick in the Wall, Part 3
    The Powers That Be
    The Bravery of Being Out of Range
    The Bar
    Have a Cigar
    Wish You Were Here
    Shine On You Crazy Diamond (Parts VI-VII, V)
    Sheep
  • Parte 2:
    In the Flesh
    Run Like Hell
    Déjà Vu
    Déjà Vu (Reprise)
    Is This the Life We Really Want?
    Money
    Us and Them
    Any Colour You Like
    Brain Damage
    Eclipse
    Two Suns in the Sunset
    The Bar (Reprise)
    Outside the Wall

Dois atos, conectados

O primeiro ato serviu como uma forma de apresentar os ideais e as intenções de Waters através de sua música e de seu ativismo, entremeada com críticas à situação atual do mundo e homenagens aos ex-companheiros de banda.

Se a primeira parte do show foi embalada por um sentimento de pertencimento e de reflexão através da arte, a segunda parte aposta em uma clara homenagem ao clássico álbum “Dark Side of The Moon”, um dos discos mais vendidos de todos os tempos, e responsável por construir toda a mítica que cerca o Pink Floyd até hoje.

Ao abordar questões políticas, sociais e filosóficas, mas sem a sombra da tensão ideológica que marcou a sua apresentação em 2018, Waters ofereceu um espetáculo à altura do que o rock e a arte proporcionam, deixando o público extasiado em, praticamente, todos os momentos.

Veja alguns vídeos do show de Roger Waters em Curitiba:

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Com mega estrutura, Roger Waters oferece espetáculo hipnotizante em Curitiba; veja fotos e vídeos

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.