As polícias civil de Campina Grande do Sul e Quatro Barras, com o apoio das Guardas Municipais das duas cidades na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), realizaram duas operações neste domingo (6), que levaram à prisão um assaltante e, de quebra, um homem acusado de um homicídio em 2014. O objetivo era prender um dos assaltantes que havia sido baleado por um guarda municipal em Quatro Barras no dia de Natal, mas um morador acabou entregando o paradeiro de um traficante que, na verdade, era o assassino de um rapaz de 28 anos em 2014. A tatuagem de coelhinho  da Playboy no pescoço acabou dando pistas à polícia.

Momento em que Silva aborda o guarda em assalto na lanchonete dia 24 de dezembro

A primeira prisão foi de Roberto Teles da Silva, de 32 anos, que já tinha ficado preso por 10 anos cumprindo pena por roubo, e que foi flagrado por câmeras no momento em que tentou assaltar uma lanchonete no dia de Natal, em Quatro Barras. Silva foi surpreendido por um guarda municipal que, como cliente, estava no caixa na hora do roubo. As imagens (assista aqui) mostram o momento em que o guarda reage e acerta dois tiros em Silva. Um transfixou a perna e o outro pegou de raspão. O assaltante fugiu junto com um comparsa.

“Recebemos informações de que este assaltante baleado por um guarda municipal estava em uma casa no bairro Cosme em Campina Grande do Sul. Fomos até lá e efetuamos a prisão. Ele já tinha se recuperado do tiro que atravessou a perna e já estava com a prisão preventiva decretada. Também já identificamos o comparsa, que é de São Paulo, e estamos trabalhando para prendê-lo”, explicou o delegado Luiz Carlos Oliveira.

Denúncia levou a um assassino

Durante a operação de prisão de Silva, um morador acabou dizendo que, ali perto, havia um traficante de cocaína. Sem saber que estavam prestes a prender um homicida procurado desde 2014, os policiais seguiram até a casa indicada. Lá, encontraram Mike de Oliveira Boaventura, de 25 anos,  conhecido como Mike Mur, com vários pinos de cocaína. Porém, ao prendê-lo, o delegado notou que o suspeito tinha uma tatuagem de Coelhinho da Playboy no pescoço e um buraco na orelha, feito pelo uso de alargador, características de um procurado por homicídio desde 2014.

“Assim que vimos que o rapaz tinha a tatuagem e o buraco na orelha, já ligamos ao suspeito de um homicídio em Quatro Barras de 2014. Na época, o pai de Daniel Augusto de Oliveira Firma, de 28 anos, ia quase todos os dias na delegacia para ver se tínhamos conseguido prender o assassino do filho dele. Este assassino tinha a tatuagem de coelhinho da Playboy e usava alargador na orelha. Testemunhas foram chamadas e imediatamente reconheceram Mike como o assassino”, disse o delegado.

Segundo o delegado, Daniel foi morto porque reclamou do excesso de velocidade do carro em que Mike estava. “O Daniel estava com crianças na calçada e reclamou quando o Mike passou de carro em alta velocidade. Os dois discutiram e Mike foi embora. Logo, ele voltou de moto com um amigo e atirou várias vezes contra Daniel, que morreu ali. Testemunhas deram a característica do assassino, mas ele estava foragido desde então. Agora, conseguimos prender o responsável por este crime”, completou o delegado Luiz Carlos Oliveira.

Os dois presos foram encaminhados para a Delegacia de Quatro barras já com as prisões preventivas decretadas.