Da Redação com MP-PR

O Ministério Público do Paraná (MP-PR), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Curitiba, e a Corregedoria da Polícia Militar cumpriram seis mandados de busca e apreensão e quatro conduções coercitivas, na manhã desta quarta-feira (15). A ação faz parte da Operação Imperium, que investiga crime de corrupção policial envolvendo um major do Corpo de Bombeiros. Os mandados foram expedidos pela Justiça Militar Estadual.

(Foto: Djalma Malaquias – Banda B)

De acordo com as investigações, o major aproveitava-se de sua superioridade hierárquica para facilitar a aprovação de projetos de segurança contra incêndio e pânico na corporação. Familiares do bombeiro são proprietários de uma empresa do ramo, que prestava consultoria na área, configurando conflito de interesses. Ele agia indevidamente junto a policiais de outro setor, no qual não estava lotado.

“A própria corregedoria iniciou as investigações, após descobrir que o major estava atuando indevidamente, utilizando o seu cargo para para interferir junto a subalternos para a aprovação de projetos de prevenção de incêndio. Ele tinha empresas em nome de familiares e, por concorrência desleal, conseguia facilitar isso”, descreveu à Banda B Leonir Battisti, coordenador do Gaeco.

Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Curitiba, na residência do policial bombeiro, de um engenheiro e de uma empresária da área de segurança contra incêndio e pânico, em uma empresa e também no armário do policial. Outro mandado foi cumprido na empresa de sua família em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. As conduções coercitivas envolvem o bombeiro e um familiar dele, além de um engenheiro e uma empresária.