Por Elizangela Jubanski

Um mês depois de toda a fiação elétrica ser roubada, o CMEI São José Operário, do bairro Alto Boqueirão, em Curitiba, foi alvo de novos ataques durante o fim de semana. Desta vez, portas e janelas de alumínio foram levadas pelos bandidos, que ainda defecaram em alguns ambientes internos da creche. O roubo das janelas e portas foi subdividido pela bandidagem e aconteceu em três madrugadas – dia 2, 5 e hoje. A falta de segurança nos CMEI’s tem facilitado a ação dos bandidos. Familiares e corpo docente estão revoltados com o descaso dos órgãos públicos. Por meio de nota, a Prefeitura de Curitiba informou que, temporariamente, um guarda municipal ficará fixo no CMEI São José Operário.

O CMEI fica na rua Luiz Carlos Canesso e a última ação maior tinha acontecido antes das férias, quando levaram a parte de fiação elétrica do local e a creche abriu as portas para receber bebês e crianças de até 4 anos sem luz. “Não tem o que fazer, a diretora não pode simplesmente suspender, né? Ficaram lá, tudo sem luz. São famílias, mães e pais que trabalham. Mas a gente nota que a direção não faz muito alarde não. Devem ter cargo de confiança e não querem exigir mais segurança, essas coisas, para não comprometer o cargo da direção. Tem empresa de segurança contratada, mas, olha, tem alguma coisa estranha nisso”, critica o policial militar Gilsomar, que é avô de um menino de dois anos matriculado no CMEI.

Depois das férias, dia 2 desse mês aconteceu o arrombamento que visava levar portas e janelas. De sábado até hoje pela madrugada, entraram mais duas vezes. Banheiros, salas de aula, administrativo, cortinas, refeitório, sala da direção e outras partes da creche estão parcialmente destruídas.

Para a Banda B, duas professoras relataram que estão com medo de ir trabalhar. Já os pais estão revoltados com o descaso da Prefeitura de Curitiba, já os casos de invasões e furtos em CMEI’s estão recorrentes. “Não temos segurança. Pago meus impostos e não tenho o mínimo de segurança! Senhor prefeito Rafael Greca, quando o senhor vai fazer alguma coisa?”, perguntou Anne Quartarolli Barp, que publicou diversas fotos e relatos sobre as constantes invasões no CMEI.

Embora não tenha filhos matriculados do CMEI, a bancária Caroline Dias, que mora na região, também criticou a ausência do poder público perante os furtos. “Alô prefeitura. Já puniram os professores, agora nossas crianças estão sendo punidas. Até quando essa insegurança? Quando ser a tomada uma providência? Polícia pra bater em professor tem mas pra cuidar de patrimônio público, não?”, criticou.
Resposta
Procurada pela Banda B, a Prefeitura de Curitiba, por meio da assessoria de imprensa, enviou uma nota oficial sobre o caso, onde afirma que um guarda municipal ficará no CMEI durante a madrugada para coibir os arrombamentos:
“A Guarda Municipal foi acionada três vezes neste fim de semana (5 e 6/8) para atender ocorrências no CMEI São José Operário, no Boqueirão. Arrombaram a unidade e furtaram nove janelas e uma porta de alumínio. Uma empresa privada, a G5 faz a segurança das unidades escolares, CMEIs e escolas municipais. A Guarda Municipal dá apoio e fiscaliza o trabalho da empresa. Em casos reincidentes, como o do CMEI São José Operário, a Guarda Municipal está interferindo e colocando um guarda fixo para cuidar da segurança.
A empresa privada será notificada para tomar as medidas necessárias que garantam a segurança do local. A partir desta segunda-feira (7/8), um guarda municipal ficará fixo no CMEI São José Operário, das 19h às 7h durante os dias da semana, e 24 horas durante os fins de semana. Essa intervenção será feita por um período, até que a situação volte ao normal e acabem as ocorrências de furtos na unidade. A Secretaria Municipal da Educação faz um apelo e um alerta à comunidade que mora perto de escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) para que denuncie possíveis atos de vandalismo. O apoio da comunidade é importante para que a Guarda Municipal e a polícia possam agir quando for necessário para proteger os espaços que são alvos de danos.
A população pode avisar a Guarda Municipal sempre que perceber situações suspeitas, pelo telefone 153. As denúncias também podem ser feitas pelo telefone 3045-7940 da empresa de segurança G5, contratada para o serviço de monitoramento das unidades. As equipes contratadas têm o apoio da Guarda sempre que alguma ocorrência é registrada”, finaliza a nota.
Outros casos

Na semana passada, o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Conjunto Mercúrio, no bairro Cajuru, em Curitiba, foi invadido duas vezes e teve dois buracos abertos na parede. Em ambas situações, houve prejuízo na estrutura da creche e roubo de materiais, até mesmo, comidas preparadas para os bebês.

Notícias relacionadas