Foto: Arquivo Pessoal

 

O amigo íntimo que confessou o assassinato do sindicalista Vanderlei Melink, de 41 anos, disse em depoimento à Polícia Civil que cometeu o crime por causa de uma dívida de R$ 150. Kevin Eduardo Acir da Silva, de 21 anos, foi identificado pela Delegacia de Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, e se apresentou nesta quinta-feira (24). Um segundo jovem, Lennon Vinicius de Matos Leão da Costa, também de 21 anos, também se apresentou à polícia suspeito de participação no assassinato.

De acordo com o delegado Cassiano Aufiero, durante as investigações os policiais encontraram uma camiseta preta, com uma estampa pouco comum, deixada por um dos suspeitos dentro da casa de Melink. “Com essa pista, passamos a investigar a quem, do convívio da vítima, poderia pertencer a peça de roupa. Ao realizar buscas em redes sociais, encontramos uma foto recente de Silva utilizando a camiseta”, comentou.

O crime aconteceu na madrugada da última terça-feira (22) no bairro Santa Ângela, em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba. Segundo a polícia, Silva teria cometido com uma faca de cozinha.“Testemunhas afirmaram que Silva tinha um grau de proximidade com a vítima, e inclusive teria sido visto no local momentos antes do ocorrido”, disse Aufiero.

No depoimento, a dupla confessou o crime, entretanto alegou que a vítima estaria devendo R$150 a eles, e teria se negado a pagar. Os suspeitos disseram ainda, que ao deixar a residência de Melink, roubaram alguns de seus pertences pessoais e já haviam revendido.

Ambos estão presos no Setor de Carceragem Temporário (Secat) da unidade, onde foram indiciados por latrocínio, e aguardam à disposição da Justiça.

Notícia Relacionada: