Um homem foi preso dentro do estádio Couto Pereira, no Alto da Glória, em Curitiba, no começo da noite desta terça-feira (17), suspeito de ter abusado de uma adolescente, de 17 anos, que acompanhava o jogo. A situação aconteceu no começo da partida entre o Coxa e o São Bento, durante a série B do Campeonato Brasileiro no meio da torcida.

A adolescente foi vítima de abuso durante uma partida de futebol no Couto Pereira. Foto: Divulgação/Coritiba

Duas jovens perceberam o abuso e pediram para o homem parar. Elas alertaram a vítima, que na hora se defendeu da ação. As moças ainda explicaram que ficaram assustadas com a atitude do suspeito, que apenas parou depois que a adolescente reagiu.

“Eu falei para ele parar e ele não fez nada. Eu chamei a menina e disse que ele estava com o pênis para fora. Nisso ela bateu nele. Ele levantou a blusa e estava com a calça abaixada, com a bunda para fora no meio de todo mundo no estádio”, explicou uma das testemunhas, que não será identificada.

O delegado José Barreto, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente vítimas de crime (NUCRIA), afirmou que o homem estava abusando da menina e, inicialmente, ela não percebeu.

“A própria menina, inicialmente até notou que alguém estava esfregando algo nela, mas não imaginava que era um órgão genital. No meio da torcida, o suspeito começou a se esfregar nela. Quando as duas outras mulheres viram, alertaram a menina e ela percebeu. Houve o tumulto, o homem fugiu do local, mas foi alcançado pela Polícia Militar”, explicou o delegado à Banda B.

O homem foi agredido por outros torcedores e preso pela Polícia Militar. Ele foi encaminhado ao NUCRIA , o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente vítimas de crimes. A mãe da vítima, que preferiu não se identificar, ficou indignada com a ação e espera que a Justiça seja feita.

“Me sinto muito revoltada com isso. Saímos de casa para se divertir, ir num estádio que tem várias pessoas, famílias e acontece uma coisa dessas. Além de ser a primeira vez que ela foi, passar por uma situação dessa é difícil para nós. Inclusive, ele já tem passagem por isso e tem uma filha. Imagina se fosse com a filha dele? Assim como não quero para as minhas, não quero para a filha dos outros. Então eu quero justiça, que ele pague pelo que fez”, esclareceu a mãe.

O homem irá responder pelo crime de importunação sexual, que prevê de 1 a 5 anos de reclusão. O suspeito já tinha passagens pelo mesmo crime, o que pode agravar a situação da condenação.

Como o caso envolve uma adolescente, a investigação seguiu a cargo do NUCRIA. O acusado será encaminhado ao Centro de Triagem e ficará à disposição da justiça.