Uma grande carreata tomou conta das ruas de Curitiba na tarde desta sexta-feira (1) com apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Os manifestantes se concentraram em frente ao Palácio Iguaçu, sede do Governo do Paraná, no bairro Centro Cívico, com o suporte de dois trios elétricos. O problema é que dois grupos de apoio ao presidente acabaram discutindo em cima de dois trios elétricos. De um lado os que apoiam a intervenção militar com Bolsonaro no poder. De outro, os que não querem intervenção e se dizem da direita, sim, mas conservadores.

“A gente veio aqui apra apoiar o presidente Bolsonaro, mas, infelizmente, tem uma descontrolada em cima daquele trio elétrico gritando e defendendo a intervenção militar. Não somos intervencionistas, somos da direita pura, do movimento conservador que representa os verdadeiros eleitores de Bolsonaro”, afirmou o técnico de refrigeração Renato Gasparim.

Segundo o grupo que se intitula de direita, o objetivo é apoiar o presidente. “Nossa pauta é mostrar apoio ao Bolsonaro, defender a nomeação de Alexandre Ramagem na Polícia Federal e mostrar que é preciso deixar o presidente governar”, completou Gasparim.

A representante do outro grupo, que defende a intervenção e também apoia Bolsonaro, se recusou a atender a reportagem da Banda B.

Os veículos formaram filas no entorno da Praça Nossa Senhora de Salete, com o objetivo de passar pelo prédio da Justiça Federal, no bairro Ahú, até o fechamento na sede da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida.

Nos carros, apoiadores do presidente empunhavam bandeiras do Brasil e carregavam faixas e cartazes com frase como: “Queremos nossa liberdade de volta”, “Comunismo aqui não”, Estamos com Bolsonaro”, “Fica Ramagem”.

De máscara, o empresário Luiz Henrique Garcia foi com seu carro, ao lado da esposa, apoiar o presidente. “Votamos no Bolsonaro e não em ministros. Queremos que deixem o presidente governar e pedimos que o povo ajude ele. Por isso que vim aqui com a minha esposa. Estamos nos cuidando, de máscara, no carro, e queremos apoiar Bolsonaro”, afirmou.

Não foi divulgado nenhum número oficial sobre o número de participantes na carreata em Curitiba.