O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, deu mais explicações de como foi feita a ação dos hackers suspeitos de terem acessado conversas de integrantes do governo no aplicativo Telegram.

Foto: Agência Câmara

Pelo Twitter, Moro disse que “pelo apurado, ninguém foi hackeado por falta de cautela” e que para que os invasores tivessem acesso às mensagens “não se exigia nenhuma ação da vítima”. “Não havia sistema de proteção hábil. Há uma vulnerabilidade detectada e que será corrigida graças à investigação da Polícia Federal”, escreveu o ministro.

Segundo Moro, foi a partir da exploração desta vulnerabilidade, não detalhada pelo ministro, que os “hackers criminosos e pessoas inescrupulosas” acessaram os celulares dos governistas.

“As centenas de vítimas, autoridades ou não, que tiveram sua privacidade violada por meio de crime, serão identificadas e comunicadas pela Polícia Federal ou pelo MJSP”, tuitou Moro.