O Paraná Clube vive um momento de indefinição. Todo o processo de venda da SAF – e, por consequência, a própria consolidação da recuperação judicial – está parada aguardando um ponto. Enquanto não se desatarem todos os nós da sede da Kennedy, não pode acontecer o leilão judicial, não há previsão dos valores a serem pagos e repassados para os credores e, em especial, não há nitidez no horizonte para uma nova proposta. Nos bastidores, o cenário é o mesmo.

Como a Banda B informou no dia 12 de março, a Carpa Family Office retirou a proposta de compra da SAF nos termos apresentados à Justiça em dezembro do ano passado. No ofício protocolado pelo Paraná Clube na última sexta (22), o ponto mais relevante não era a retirada da oferta pela Carpa, e sim o final do texto, em que o clube se diz “aberto a todas as propostas”. Isto porque a gestora de recursos se preocupou com a falta de avanço das situações envolvendo a sede da Kennedy.

Mesmo assim, é a Carpa a parceira preferencial do Paraná Clube. Isto foi reforçado na reunião do Conselho Deliberativo da última segunda-feira (25), quando o tema Kennedy foi novamente pauta. A luta nos bastidores persiste: é necessário obter com a Prefeitura de Curitiba a autorização para a alienação (via leilão) da área; e também a autorização para mudança do perfil de edificações do local, permitindo que outros interessados possam participar do processo. Com isso acontecendo, a Carpa deverá fazer nova proposta.

SAF do Paraná Clube “separada”

Na tarde da segunda-feira, os advogados do Paraná Clube voltaram a se manifestar nos autos do processo de recuperação judicial. Foi enviada à juíza Mariana Gusso, da 1ª Vara de Falências, uma petição reafirmando que a SAF tricolor poderá ser vendida como Unidade Produtiva Isolada (UPI). Isto significa que a intenção paranista é realmente desvincular as dívidas da RJ da negociação da SAF.

Este modelo de negociação foi contestado pela União, que tem R$ 48 milhões a receber do Paraná Clube. O Tricolor inclusive já se prontificou a colocar o valor da SAF em juízo para garantir o pagamento destas dívidas, mas mesmo assim o governo federal continua contrário à intenção paranista. Mas, por ora, esta situação fica aguardando para ser definida, enquanto o leilão da sede da Kennedy não sai.

Sede do Paraná Clube na avenida Presidente Kennedy.
Paraná Clube e União divergem sobre a SAF e o leilão da Kennedy. Foto: Reprodução/Google

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

SAF do Paraná Clube está em compasso de espera

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.