Matheus Costa retorna ao comando do Tricolor (Geraldo Bubniak/AGB)

O Paraná anunciou na última quarta-feira (04) o retorno do técnico Matheus Costa, que volta ao clube depois de um ano e quatro meses da sua saída. Auxiliar-técnico em sua primeira passagem, assumiu duas vezes interinamente o clube, foi pivô de polêmica com o técnico Lisca e terminou a temporada recolocando o time na Série A após dez anos.

O primeiro desafio

Até então auxiliar da casa, Matheus Costa comandou o Tricolor pela primeira vez na 13ª rodada da Série B de 2017, após a expulsão do então técnico Cristian de Souza. Na partida, o Tricolor acabou sendo derrotado pelo Vila Nova-GO, por 3 a 2, no Serra Dourada.

Mas não demorou muito para que o auxiliar tivesse novamente à frente da equipe no banco de reservas. No jogo seguinte, o Paraná foi derrotado pelo Oeste, em revés que acabou custando o cargo de Cristian. Com isso, Matheus comandou o Tricolor novamente na 15ª rodada, em goleada sobre o Brasil de Pelotas-RS, por 4 a 1 , na Vila Capanema, antes de entregar o cargo ao técnico Lisca.

Polêmica com Lisca

O início da parceria com o novo comandante foi promissor. O Paraná cresceu de produção, subiu na tabela da Série B e passou a brigar pelo acesso. Já na Primeira Liga o momento também era bom. O Tricolor avançou para a segunda fase e eliminou o Flamengo nos pênaltis nas quartas de final em Vitória-ES. Mas, um dia antes da semifinal contra o Atlético-MG, o ambiente virou de ponta cabeça no clube após uma confusão envolvendo o técnico Lisca e o auxiliar, que culminou no desligamento do treinador depois de ser acusado de agressão.

Efetivação e acesso histórico para a Série A

Sob o comando interino de Matheus Costa o Paraná Clube foi eliminado da Primeira Liga pelo Galo, mas emplacou logo em seguida uma sequência positiva de quatro vitórias na Série B. O embalo do time elevou a expectativa da torcida, que comprou a briga e lotou a Vila Capanema, e sob o comando de Costa o Tricolor confirmou o retorno para a Série A do Brasileiro após dez temporadas na segunda divisão. Ao todo, ele comandou o time por 17 jogos, com nove vitórias, três empates e cinco derrotas, e um aproveitamento de 58,8%.