Silvinho não foi procurado pela diretoria para renovar com o Paraná (Geraldo Bubniak/AGB)

Já planejando a próxima temporada, o Paraná teve três saídas na última semana e sinalizou que parte dos atletas emprestados, como o zagueiro Cléber Reis, os meias Caio Henrique e Maicosuel, além do atacante Carlos, não seguirão no clube no próximo ano. Entre incertos e mais baixas, a diretoria deverá definir nos próximos dias o futuro de mais jogadores do atual elenco.

Titular absoluto da equipe em boa parte do Brasileirão, e artilheiro paranista na competição com três gols, o atacante Silvinho é um dos que seguem com a incerteza de permanência. O atleta tem contrato até 31 de dezembro e não recebeu proposta para a renovação. “Ninguém me procurou, não”, disse o jogador em curtas palavras à Banda B na saída do campo, na derrota para o Cruzeiro, por 3 a 1, no último sábado (27), no Mineirão.

Na partida em Belo Horizonte, inclusive, segunda sob o comando do técnico Dado Cavalcanti, o jogador começou no banco de reservas e entrou somente no segundo tempo. Com mais um revés, Silvinho lamentou a situação do Tricolor no Brasileiro. “Nosso time às vezes começa bem, mas acaba levando o gol em um lance ou outro. Não adianta falar que o time está jogando bem, se leva gol. Sou suspeito para falar. Comecei no banco, vou tentar trabalhar para buscar a nossa vitória o mais rápido possível”, comentou.

Com apenas 17 pontos, o Paraná não vence há 17 partidas na competição e está praticamente rebaixado para a Série B. Na próxima rodada, o time encara o Vitória, no domingo (04), às 17h, na Vila Capanema, de olho no fim do jejum na competição.