A Secretaria Municipal de Curitiba confirmou, nesta terça-feira (11), que a morte da pianista Henriqueta Garcez Duarte, de 94 anos, foi causada pela Covid-19. Pioneira da Oficina de Música de Curitiba, Henriqueta é uma das maiores expressões da música erudita paranaense.

Reprodução TV Uninter

Na live transmitida pelas redes sociais, a médica infectologista Marion Burger lamentou a morte. “Ela faleceu em casa e era uma artista de Curitiba, pela qual a gente sente a falta e sente a perda”, disse.

Henriqueta morreu na última segunda-feira (3), mas o resultado dos testes saiu apenas agora. O prefeito Rafael Greca lamentou a morte no início do mês. “Perdemos dona Henriqueta Penido Monteiro Garcez Duarte, famosa intérprete da nossa música brasileira. Talentosa pianista, mestre de toda uma geração, entusiasta da SCABI e da Pró-Música. Sua partida nos enche de tristeza. Seu legado é símbolo imortal da força transformadora da Arte. Seja recebida na Eternidade pelos Anjos ao som de lindos cânticos e acordes, quais os que imprimia ao piano ao interpretar Brasílio Itiberê na sinfonia Sertaneja”, disse.

Trajetória

Nascida em União da Vitória, em 1928, Henriqueta Monteiro Garcez Duarte iniciou seus estudos com a avó materna. Foi o início de uma carreira promissora. Foi aluna de Magdalena Tagliaferro no Rio de Janeiro, estudou no Conservatório de Madrid e na Academia de Música de Viena. Entre outros grupos, apresentou-se com o Quarteto de Cordas Mozarteum, de Salsburg, o Quarteto Lindsay e o Quinteto de Sopros de Munique. Foi solista, entre outros, dos maestros Souza Lima, Isaac Karabtchevski e Roberto Schnorrenberg. Como pianista e conferencista, apresentou-se no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos.

Ao lado de seu esposo, o engenheiro Eduardo Garcez Duarte, ajudou a criar em 1963 o instituto Pró-Música de Curitiba. Em dezembro de 1964, participou do lançamento dos Cursos e dos Festivais Internacionais de Música do Paraná, com o apoio do Governo do Estado e, depois, da Prefeitura de Curitiba – projeto que deu origem à Oficina de Música de Curitiba, hoje em sua 37ª edição.

A pianista foi também diretora da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (1974-1978). Em 26 de novembro de 1997, recebeu o título de Cidadã Benemérita de União da Vitória e, em 2017, o título de Membro Honorário da Academia Paranaense de Letras.