Mesmo diante de nova alta nos casos de Covid-19, o Comitê de Técnica e Ética da Secretaria Municipal da Saúde se posicionou favoravelmente ao retorno das aulas em Curitiba, destacando a retomada para crianças de até dez anos de idade. O documento diz que o índice de transmissão do coronavírus entre crianças é seis ou sete vezes menor que o de adultos e que experiências internacionais mostram que as aulas não impactam negativamente a curva de infecções e de mortes. O ofício foi publicado nesta segunda-feira (16).

Foto: SMCS

O posicionamento se dá após pedido do Sindicato das Escolas Particulares do Paraná (Sinepe).

Segundo o documento, que é assinado pela secretária Márcia Huçulak, “a retomada gradual e criteriosa das atividades de ensino presenciais configura-se como oportunidade ímpar de preparar crianças para o enfrentamento de situações adversas, tendo a resiliência como valor a ser fortalecido, para ampliar a sua capacidade de lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos e resistir à pressão de situações adversas e traumáticas, como vivenciada neste momento”.

Com o posicionamento favorável, o Comitê de Ética e Médica ainda pede que as escolas priorizem o retorno para crianças de até dez anos de idade. Para que o retorno aconteça, as escolas terão de priorizar o ensino híbrido e garantir o distanciamento social.

Alta nos casos

Ao longo da última semana, Curitiba voltou a ter um expressivo aumento no número de casos do Covid-19. De 11/11 a 16/11, a capital paranaense registrou mais de 700 casos em todos os dias.

Em âmbito estadual, por exemplo, o Governo do Estado voltou atrás com a possível volta na segunda quinzena de novembro.

Justiça

Na semana passada, o desembargador Marques Cury, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), negou pedido do Sinepe para a retomada das aulas no Paraná. De acordo com a decisão, que foi publicada nesta terça-feira (10), no momento não é possível encontrar os requisitos necessários para a concessão da medida liminar.