Gabriella Amaral Cardoso tem um ano. A menina foi diagnosticada com Atrofia Muscular Espinhal (AME), doença genética que atinge a coluna vertebral, após seis meses de vida. Com a necessidade de realizar o tratamento da filha, a mãe, Evellyn Priscilla Amaral, reuniu familiares e amigos para arrecadar recursos e assim pagar os custos médicos. Em entrevista à Banda B, nesta quinta-feira (30), Evellyn explicou o contexto desde o processo de gestação da gravidez até o nascimento da filha. Abaixo, saiba como ajudar.

 

 

Logo de inicio, Evellyn trouxe uma revelação forte. A gestação era de gêmeos, porém, após 13 semanas, só a Gabriella sobreviveu. “A Gabriella sofre com dificuldades desde o início. Eu sofri um aborto espontâneo do meu outro filho. Depois disto, até o quinto mês, eu tive oligodrâmnio. Isto fez com que a Gabriella não crescesse dentro da minha barriga”, pontuou.

Cinco meses depois do nascimento da menina, Evellyn começou a ficar preocupada. A mãe passou a perceber a dificuldade da filha em conseguir criar a consistência muscular e a estrutura óssea do corpo.  Um mês depois veio o diagnóstico. “Os médicos diziam que ela era preguiçosa. No entanto, a gente começou a ir nos médicos do Hospital das Clínicas. Eles passaram a pedir vários exames. Até que fizemos o exame do genoma e foi constatado que ela tem AME Tipo 1”, contou Evellyn.

Um ano

Recentemente, Gabriella completou um ano. Segundo a mãe, a doença exige uma série de cuidados. Entre eles, o uso de sonda para alimentação da pequena. “Como a AME retira as forças do corpo, a minha filha precisa de auxílio para realizar movimentos básicos. Ela faz aspiração, porque a Gabriella tem uma disfagia grave. Além das medicações que são tomadas para evitar infecções pelo corpo”, revelou.

Em meio a tantas dificuldades, principalmente pela questão financeira, muita gente ajudou e ainda ajuda. Todas estas pessoas são chamadas de anjos pela Evellyn. “Graças a Deus, a Gabriella tem muitas pessoas que a ajudam. Nós não conseguiríamos manter tudo isto sozinhos, mensalmente. Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia, Gasolina, ela vai muito ao hospital. Eu só tenho a agradecer aos anjos que tenho hoje”, reconheceu.

A família e os amigos fizeram uma campanha para ajudar a pagar as despesas do tratamento da Gabriella. “E eu como mãe, peço. Quem é mãe, sabe. R$ 1 faz toda a diferença para a gente, todo mês”, concluiu à Banda B.

Dados

Contribua com qualquer valor e faça parte desta corrente do bem para ajudar a pequena Gabriela.

“NÃO SOLTE MINHA MÃOZINHA” – Gabriella Amaral Cardoso 

Banco: Caixa Econômica Federal

Agência: 0374

Digito: 013

Conta: 96040-0

CPF: 151.334.149-94

Nome: Gabriella Amaral

Picpay

@amegabriella27