O trânsito na Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, foi liberado à passagem de veículos nesta terça-feira (27/2), às 15h25, um dia antes do prazo previsto. A interdição total de um trecho da via – entre o Super Muffato e o Colégio Militar de Curitiba, em ambos os sentidos (Centro e Pinhais) -, começou no sábado (24/2), com estimativa de durar até a quarta-feira (28).

Av. Victor Ferreira do Amaral Curitiba
A interrupção aos veículos aconteceu para a complexa operação de instalação de grandes vigas de concreto (longarinas) para o alargamento do viaduto. Foto: Cristiano Vaz/Banda B

A interrupção aos veículos aconteceu para a complexa operação de instalação de grandes vigas de concreto (longarinas) para o alargamento do viaduto.

Em quatro dias foram instaladas 12 das 16 peças necessárias para nova etapa de alargamento do viaduto que está sendo duplicado. Para o lançamento das quatro últimas vigas não haverá necessidade de bloqueio, uma vez que as peças serão içadas e acomodadas na área onde funciona o canteiro das obras, sem a circulação de veículos.

As vigas longarinas têm de 30 a 43 metros de comprimento e de 85 a 110 toneladas de peso (equivalente a 110 carros populares).

“Felizmente pudemos avançar nos trabalhos para que bloqueio acabasse logo e os transtornos no trânsito fossem minimizados rapidamente. Ao final das obras, a região do Tarumã ficará completamente requalificada, com mais qualidade de vida para quem vive ou passa pelo local”, diz o prefeito Rafael Greca.

Desvios de linhas de ônibus

Com a liberação do trânsito, voltam ao itinerário normal as dez linhas de ônibus que estavam fazendo desvios. São elas: 020-Interbairros II (horário), 021-Interbairros II (anti-horário), 022-Inter 2 (horário), 023-Inter2 (anti-horário), 307-B.Alto/Santa Felicidade, 372-Tarumã, 373-Alto Tarumã, 375-Sagrado Coração, 380-Detran/Vic. Machado e 389-Mad.Tarumã/Augusta. Juntas, essas linhas transportam cerca de 16 mil pessoas em dias úteis.

Com o retorno, deixa de circular a linha especial X42 -Capão da Imbuia/Cabral, que foi implantada temporariamente para atender os passageiros afetados pela obra.

Operação complexa

As quatro primeiras vigas foram içadas e lançados sobre a base do viaduto ainda no sábado, quando começou a complexa operação que exigiu o uso de equipamentos de grande proporção, em frente ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

No domingo (25/2), as três maiores peças foram suspensas. Outras cinco foram colocadas na segunda (26/2) e terça-feira (27/2).

Ainda restam quatro vigas para serem içadas e lançadas, porém, como serão instaladas na área onde está o canteiro de obras, na lateral do estacionamento do Colégio Militar, já fechada ao trânsito, não é necessário bloqueio.

Ainda na tarde desta terça-feira, os equipamentos começaram a ser posicionados no próximo vão onde as vigas serão suspensas. A previsão é de finalização dos serviços no fim da tarde de quarta-feira (28/2).

Guindastes

Para o transporte e a suspensão das megavigas estão sendo usados quatro guindastes de grande porte. Os equipamentos hora foram instalados na Avenida Victor Ferreira do Amaral, hora nas laterais que servem como canteiro de obra.

“Nesta etapa, as vigas estão sendo lançadas ao lado direito do viaduto. Posteriormente, em nova etapa, faremos uma ação similar no lado oposto, para preparar a bases para a duplicação da estrutura”, explica Rodrigo Araújo Rodrigues, secretário municipal de Obras Públicas.

As vigas longarinas estão serão dispostas longitudinalmente para dar suporte contínuo ao longo do comprimento do viaduto, que está sendo alargado para receber duas estações-tubo (uma em cada sentido) na parte superior e outras duas na parte inferior.

Vigas transversinas

O passo seguinte da intervenção será a execução das vigas transversinas, transversais às vigas longarinas e espaçadas a cada 10 metros. Na sequência será realizada a execução da pré-laje e por fim da laje.

Depois de concluído, o viaduto dobrará de tamanho, passando dos atuais 24 metros de largura para 50 metros, assegurando três faixas de trafego de veículos em cada sentido, canaleta exclusiva para o transporte coletivo, espaço para as estações-tubo e calçada.

As vigas foram construídas, concretadas e pré-tensionadas dentro do canteiro de obras, instalado sob o viaduto.

Paralelamente ao cronograma de içamento e lançamento das primeiras vigas, as equipes seguem na execução das próximas 16 peças que serão posicionadas no lado oposto do viaduto. Além da preparação das ferragens e das formas para a concretagem das próximas vigas, continuam os trabalhos de pavimentação das vias que formarão a alças de aceso do novo viaduto.

Complexo Tarumã

Complexo Tarumã engloba as obras no Viaduto da Avenida Victor Ferreira do Amaral – que permitirá a instalação das novas estações de ônibus, Tarumã e Victor do Amaral –  a requalificação de 12 ruas do entorno, das praças públicas Cova da Iria e Mauro Ferreira, além de novo paisagismo e iluminação. Novas calçadas planas e acessíveis e ciclovia também integram as melhorias.

Iniciadas em fevereiro do ano passado, as obras são coordenadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop). A previsão de conclusão das obras é o segundo semestre deste ano.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Trânsito na Victor Ferreira do Amaral é liberado um dia antes do previsto; ônibus voltam ao itinerário normal

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.