Vinte anos após a morte de Miguel Donha, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime organizado (Gaeco) prendeu na manhã desta quinta-feira (24) Alzemir Manfron, que condenado em júri pelo homicídio. Ele é apontado como mandante do crime contra o rival. A prisão aconteceu no bairro Cabral, em Curitiba.

Foto: Arquivo Banda B

De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), o crime aconteceu no início do ano 2000. A vítima era então pré-candidato a prefeito de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, e rival político do réu, que foi sentenciado em 2017 à pena. Após os recursos da defesa terem sido negados, o processo já transitou em julgado.

O coordenador do Gaeco no Paraná, Leonir Batisti, ao grupo coube o cumprimento do mandado. “Fizemos as diligências para localizar o paradeiro e cumprimos o mandado de prisão. Ele vai passar agora a cumprir pena no sistema penitenciário, uma vez que já foi condenado”, disse.

Manfron agora passa a cumprir pena de 16 anos, 7 meses e 15 dias de reclusão em regime fechado.