A Polícia Civil divulgou imagens de câmeras de segurança do assassinato de Manoel Ferreira da Silva Filho, de 42 anos. O caso aconteceu na Vila Barigui, na Cidade Industrial de Curitiba, na manhã desta quarta-feira (18). Com os vídeos, a polícia pede agora a colaboração da população com informações que auxiliem na identificação dos suspeitos.

As imagens (veja abaixo) mostram a vítima trabalhando na frente de casa, quando um veículo Celta, de cor preta, entra na rua Jhony Wendler e dois homens descem do carro e vão de encontro com Manoel. A vítima corre para dentro da residência, mas é atingida dentro da cozinha do imóvel.

 

Momento que a vítima começa a ser alvejada por diversos tiros. Ela entra na residência, mas não consegue fugir. Foto: Reprodução/Divulgação/Polícia Civil

 

O delegado Thiago Nóbrega da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) afirmou que o delegado já havia instalado as câmeras de segurança porque foi alvo de uma tentativa de homicídio no mês de setembro. “Naquela vez, o suspeito apontou uma arma na direção dele, porém ela falhou”, iniciou.

Agora, com este segundo atentado, que resultou na morte de Ferreira, Nóbrega suspeita que tenha sido uma retaliação. “Isto por conta do passado da vítima. Ele já teve envolvimento com o tráfico de drogas e outros homicídios. Mas o crime é bem recente e é meio complicado afirmar isto”, completou.

 

Após o crime, a dupla volta ao Celta de cor preta para fugir do local. Foto: Reprodução/Divulgação/Polícia Civil

 

Cachorro

Nóbrega ainda disse que o cachorro da vítima, após perceber o dono em perigo, tentou protege-lo. No entanto, o animal também acabou sendo alvejado. “Alguns tiros acertaram a perna dele. Espero que ele esteja bem”, confirmou o delegado, sem detalhar o estado de saúde do pet.

Denúncia

A denúncia pode ser feita de forma anônima pelos telefones 197 da Polícia Civil, 181 Disque Denúncia ou pelo 0800 643 1121 diretamente à equipe de investigação.

Imagens

No local do crime, os policiais civis apreenderam estojos 9mm. Nas imagens é possível ver que um dos suspeitos estava de máscara, óculos e chapéu. O outro, por sua vez, já está com o rosto mais aberto. “Pedimos que a população nos encaminhe as denúncias sobre o paradeiro dos suspeitos e também que nos leve a achar o carro”, concluiu Nóbrega.