Casal Brittes e Daniel. Em depoimento, Cristiana afirma ter sido abusada (Foto: Reprodução/Divulgação)

A Banda B teve acesso a íntegra do depoimento de Cristiana Brittes, de 35 anos. Ela foi fotografada na cama pelo jogador Daniel Correia, de 24, que em seguida foi assassinado pelo marido dela, Edison Brittes, de 38, na manhã do último sábado, na casa da família no bairro Guatupê, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

Daniel foi brutalmente assassinado com sinais de tortura, após ser flagrado na cama com Cristiana. A defesa da família presa afirma que Daniel havia tentado estuprar a mulher, versão negada por advogados que representam o jogador.

Abaixo, você confere a íntegra do depoimento de Cristiana:

Em depoimento, Cristiana afirmou que bebeu muito durante a festa e que, ao ir para a residência, lembrava-se apenas de ter comido um ovo e ido dormir, sendo colocada na cama por seu marido, Edison Junior. O quarto do casal Brittes fica na parte inferior da residência. No relato, Cristiana afirma que Daniel teria entrado em seu quarto por volta das 8h, possivelmente em um momento em que o marido teria saído para comprar bebida. Ela diz que soube disso e não tem certeza, uma vez que dormia profundamente.

Cristiana ainda relata que foi informada que a todo momento sua filha, Allana, e o marido, Edison, iam ao quarto verificar se tudo estava em ordem. Cristiana relatou ainda que sua prima contou que foi até o quarto para urinar e Daniel estava lá. Ele teria dito a jovem que iria apenas urinar e que sabia que ela (prima) tinha namorado e Cristiana era casada.

Durante todo este tempo, Cristiana relata estar dormindo, até quando afirma ter acordado assustada, porque Daniel estava deitado sobre si e, assustada, começou a gritar. Ela afirmou que Daniel estava excitado, com o pênis ereto, trajando apenas cueca. Diz ainda que o jogador passava a mão pelo seu corpo e afirmava: ‘Calma, é o Daniel’. A partir daí, Cristiana diz ter gritado por socorro, com o marido Edison chegando para ajudá-la.

Agressões

Neste momento, Cristiana relata que Edison arrombou a porta e partiu para cima de Daniel, o segurando pelo pescoço. Ela diz que neste momento deixou o quarto, pela janela que dá acesso ao quintal. Após isso, outras pessoas entraram no quarto. Cristiana relata que pedia para que Daniel não fosse agredido. A mulher afirma que, ao invés disso, as agressões aumentaram, com Daniel sendo colocado, inconsciente, do lado de fora da residência.

Em seguida, Junior, David, Eduardo e Ygor colocaram o jogador no porta-malas de um Veloster e saíram para um lugar que desconhece. Após isso, os quatro voltaram para casa e nada falaram sobre o que havia acontecido. Ela nega que tenha havido coação de testemunhas e que o encontro no shopping, no dia seguinte, foi para saber o que havia acontecido. Diz ainda que desde então sua vida ‘virou um inferno’.

Cristiana ainda relatou que o marido não falava sobre a morte de Daniel, mas apenas dizia que ele não faria mais nada com mulher nenhuma. Ainda, disse não saber o que foi feito com objetos e o celular de Daniel.

Confira o depoimento na íntegra: