Redação com MP-PR

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) ofereceu na segunda-feira (5), denúncia contra três policiais civis por prática de tortura na Delegacia de Quatro Barras no início deste ano. A acusação foi feita com base em investigação presidida pelo delegado da Corregedoria da Polícia Civil à disposição do Gaeco.

De acordo com a denúncia, no dia 12 de março, os investigadores da Polícia Civil foram acionados para atender o caso de um homem que apresentava quadro de distúrbio psiquiátrico. No local, mesmo sendo avisados por familiares que o homem necessitava de tratamento de saúde, e sem que fossem agredidos por ele, os denunciados “invadiram o terreno da residência da vítima, algemaram-na e a prenderam, colocando-a no interior do camburão da viatura policial e a encaminhando para a Delegacia de Quatro Barras”.

Na Delegacia, sustenta o Gaeco, o homem foi espancado durante aproximadamente 15 minutos pelos policiais civis. Ele foi liberado no mesmo dia e encaminhado, por seus familiares, para um Posto de Saúde em Curitiba, diante das inúmeras lesões constatadas no corpo da vítima, entre elas uma grave lesão na uretra.

O homem, em seguida, foi atendido no Hospital Evangélico, para a realização de procedimento, urgente, de cistostomia, em razão do bloqueio do fluxo urinário causado pelas lesões. Por pelo menos dois meses, afirma o Gaeco, a vítima permaneceu com sonda e impossibilitada de exercer suas ocupações habituais.

Além da tortura, os três policiais estão sendo denunciados pelo Gaeco por abuso de autoridade e por falsidade ideológica, já que “forjaram um auto de resistência” com o objetivo de justificar a detenção e as lesões que causaram na vítima.