Dois homens, de 24 e 27 anos, foram presos em flagrante após a polícia descobrir a venda de cigarros eletrônicos com maconha líquida, no bairro Tatuquara, em Curitiba. As prisões aconteceram nesta segunda (4) e terça-feira (5).

Foto: Eliandro Santana/Banda B

Segundo a Polícia Civil, uma denúncia anônima feita há cerca de 20 dias deu início às investigações. Apesar de serem iniciais, a polícia já tem informações de que a mercadoria era enviada para estados como Rio de Janeiro e Minas Gerais, além de ser comercializada em Curitiba (PR).

“É uma droga nova no mercado. Eles utilizam a essência do cigarro eletrônico, mas inserem o princípio ativo da maconha, o THC, em forma líquida, e fumam”, explicou o delegado Thiago Dantas, da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc).

Dantas alertou que jovens, público que mais tem consumido a substância, têm passado despercebido entre as fiscalizações. “Não tem cheiro e a fumaça se dissipa facilmente. O suspeito não circula com um cigarro de maconha, mas consegue passar por qualquer tipo de fiscalização com o eletrônico porque é difícil imaginar que um vaporizador teria o THC”.

Foto: Eliandro Santana/Banda B

Ao todo, 561 essências do produto foram apreendidas, além de um veículo Ônix. Uma balança, um aparelho de aquecimento usado para fechar as embalagens e R$ 312 em dinheiro também foram confiscados.

A dupla não tinha antecedentes criminais até então e ambos foram autuados por tráfico de drogas. A investigação continua.