Família Brittes, na festa de aniversário de Allana. Foto: Reprodução/Instagram

 

A Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, espera a apresentação nesta segunda-feira (5) de três pessoas suspeitas de envolvimento na morte do jogador Daniel Correa Freitas, 24 anos. O inquérito que investiga a morte ainda terá os depoimentos formais dos três presos – Edison Brittes Júnior, 38, que confessou o crime, Allana Brittes, 18 anos, filha do autor e Cristiana Brittes, 35, mãe e esposa. As declarações oficiais servirão para identificar controvérsias e pontos a esclarecer.

Jogador Daniel foi morto depois de confusão na casa da família Brittes. Foto: Divulgação

Os três suspeitos de participar do crime já se manifestaram, por meio de advogados, e devem se apresentar à delegacia ainda hoje. Dois deles estão sendo representados pelo mesmo advogado, Robson Domacoski. Segundo fontes da Banda B, um deles seria um rapaz que tem um relacionamento com Allana e o outro o primo desse rapaz. O terceiro envolvido está sendo representado por outro profissional, é um primo de Cristiana e mora em Foz do Iguaçu, oeste do Paraná.

Os três suspeitos estariam na festa, na casa da família Brittes, em São José dos Pinhais, depois da comemoração que iniciou no camarote de uma balada, no bairro Batel, em Curitiba. A testemunha-chave reconheceu os suspeitos como participantes do espancamento. Informações extraoficiais é que os três estavam no carro do autor, junto com a família, quando o jogador foi colocado no porta-malas.

Mesmo que os três se apresentem à polícia, o delegado Amadeu Trevisan, que coordena as investigações, pode pedir a prisão dos suspeitos depois dos depoimentos.

Depoimentos

A família Brittes deve ser ouvida oficialmente durante todo o dia. As versões da filha e da mãe devem corroborar com a do autor, de que o jogador estaria tentando estuprar Cristiana. Vídeos de Allana e Juninho, gravados pela defesa, já apresentam contradições, em detalhes.

Crime

Daniel, que jogava no São Bento, estava de folga e veio para Curitiba na sexta-feira (26) para a festa de aniversário de Allana Brittes, numa casa noturna no Batel. Ele estava tendo um relacionamento com uma amiga de Allana. Da casa noturna, ele, amigos e a família seguiram para a casa dos Brittes no bairro Guatupê.

O corpo do jogador foi encontrado em uma estrada de terra perto da Rua Augusto Micrute, na Colônia Mergulhão, no dia seguinte. Moradores que passavam pelo local viram o corpo e acionaram a polícia. O corpo estava parcialmente degolado e sem o pênis.

Notícias relacionadas: