Um suspeito de amarrar uma família durante um assalto foi morto a tiros pela polícia em um confronto na noite desta quinta-feira (10), em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. O homem ainda não foi identificado oficialmente, aparenta cerca de 35 anos e estava com o carro Ford Ka da família assaltada dentro em casa, em Fazenda Rio Grande. Uma viatura da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), do Batalhão de Operações Especiais (Bope), cruzou com o suspeito e houve troca de tiros. Nenhum policiais se feriu.

Policiais cruzaram com o carro, que tinha alerta de furto/roubo, por volta das 22 horas na Colônia Rio Grande, e intensificaram a perseguição quando o motorista decidiu não aceitar a abordagem. O tenente Souza, da Rone, disse que o suspeito estava sozinho no carro e atirou contra a equipe.

“Uma das viaturas cruzou com esse cidadão que estava com um veículo Ford Ka e os policiais perceberam, por meio da placa, que seria de um roubo a uma residência em Fazenda Rio Grande. Imediatamente, fizeram a volta, se identificaram por meio de sons e luzes da viatura, ele não parou, percorreu ali umas cinco ou seis quadras. Nesse local aqui, o cidadão quase colidiu o veículo, os policiais foram realizar a abordagem, mas foram recebidos a tiros e revidaram”, descreveu o tenente à Banda B.

O confronto aconteceu na Joaquim Ferreira das Dores esquina com a Avenida Diomira Moro Zen. O suspeito foi atingido por disparos de arma de fogo e morreu na hora.

O tenente Souza ainda esclareceu à Banda B que o assalto na casa da família tinha acontecido na mesma tarde, horas antes. “Uma moça de 24 anos chegava em casa e foi rendida por três indivíduos, inclusive, alguns com tocas balaclava e todos armados. Dentro de casa, havia uma idosa enferma, de 90 anos, e duas crianças. Todos foram amarrados, ficaram trancados em um dos cômodos e os suspeitos levaram diversos aparelhos eletrônicos, até causou curiosidade porque levaram quatro violões, quantia em dinheiro, que era fruto do caixa de uma igreja, já que a moça seria a responsável por guardar esse dinheiro”, explicou o tenente Souza.

Não há informações a respeito dos comparsas que participaram do assalto. O veículo e o revólver calibre 38 foram entregues à Polícia Civil, que investigará o caso. O corpo do homem foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) e ainda não tinha sido reclamado pela família.