Suspeito pela morte de um bombeiro militar em Francisco Beltrão, na região Sudoeste do Paraná, e por outras duas mortes ocorridas em Curitiba, um homem de 26 anos foi preso pela Polícia Civil na divisa do Brasil com a Argentina. De acordo com informações divulgadas nesta terça-feira (8), pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Ronaldo Pinheiro, que é mais conhecido como ‘Polaco’, é foragido da Justiça e já foi condenado por outros crimes.

Foto: Polícia Civil

As duas mortes de Curitiba teriam acontecido simultaneamente, no bairro Boqueirão. Segundo as investigações, ‘Polaco’ teria ido até à residência de Eder Carlos Chaves da Silva e o chamado para conversar em um local. O detido e um comparsa, então, teriam levado as vítimas até uma residência, onde foram executadas com tiros na cabeça. A motivação do crime foi o não pagamento de dívida de drogas. Além de Eder, Rodrigo Caetano de Souza morreu na ocasião.

Segundo o delegado Tito Lívio Barichello, ‘Polaco’ chegou a apresentar um documento falso no momento da prisão. “Ele é um criminoso bastante perigoso e que cometeu crimes gravíssimos. A informação que temos é que as duas mortes no Boqueirão teriam ocorrido por conta de uma briga de tráfico, uma queima de arquivo. Aqui, ele não confessou os crimes, diz que está sendo injustiçado, mas agora vai voltar para o sistema penitenciário”, disse.

Nos crimes de Curitiba, a polícia vê sinais de execução, uma vez que os tiros foram disparados de cima para baixo.

Mais crimes

Barrichello confirmou que ‘Polaco’ possui diversas condenações, incluindo latrocínio e por lesões corporais graves.

Ao retornar ao sistema penitenciário, ele passa novamente a ficar à disposição da Justiça.