A equipe de homicídios da Delegacia de Piraquara chegou ao nome da suspeita que seria mandante do assassinato contra Gabrielle Vieira de Lima, de 21 anos, morta a tiros em outubro do ano passado no bairro Guarituba, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. Na tarde desta quinta-feira (30), após oito meses de investigação, um mandado de busca e apreensão – e prisão – contra a suspeita foi emitido, mas não ela não foi encontrada e agora é considerada foragida.

Delegacia de Piraquara. Foto: Banda B

A Operação Hércules, que investiga o crime contra a vida da jovem, foi constituída em três fases. Na última, após prender ainda em junho deste ano três suspeitos que teriam praticado o crime, a polícia foi até a casa da mulher, de 48 anos, que seria a mandante do assassinato, porém, ela não foi encontrada. A polícia chegou ao nome dela após os suspeitos presos anteriormente terem confessado todo o crime.

Segundo Sérgio Klaar,  superintendente da Delegacia de Piraquara, a suspeita seria líder do crime organizado voltado ao tráfico de drogas na região. “Ela é a líder do tráfico de drogas no bairro Guarituba, em Piraquara, e é a suposta mandante do crime”, disse.

Ela já responde pelo crime de tráfico de drogas.

O caso

A vítima, Gabrielle Vieira de Lima, estava em casa quando, por volta das 21h de 16 de outubro de 2019, recebeu a ligação de alguém e decidiu sair alegando à mãe que iria para a casa de amigos conversar. De acordo com as testemunhas ouvidas pela polícia, ao chegar em seu destino ela recebeu outra ligação no celular e avisou ao amigos que sairia no portão e logo voltaria, o que não aconteceu.

Ao sair, Gabrielle foi em direção a dois homens que estavam em uma motocicleta vermelha esperando, e foi surpreendida pelo rapaz que estava na garupa e disparou dois tiros contra ela.