Mulher e amante foram presos – Foto: TNoline

O caminhoneiro Sérgio Francisco de Abreu, 53 anos, encontrado morto em novembro do ano passado em Apucarana, Noroeste do Paraná, tinha um seguro de vida avaliado em R$ 30 mil. A esposa Cristiane Nascimento de Abreu, e o amante dela André Alves de Mira, foram presos e confessaram o assassinato do motorista. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (17) pelo delegado José Aparecido Jacovós, chefe da 17ª Subdivisão Policial (SDP), em reportagem do TN Online. 

A vítima foi encontrada carbonizada dentro de um caminhão às margens da rodovia, no Contorno Norte. Inicialmente, a cena era de um acidente provocado por um mal súbito. Entretanto, os investigadores encontraram vários indicativos de crime no local.

“Se Abreu tivesse sofrido um enfarto, como coincidentemente haveria um incêndio na sequência? Não obstante, seria muito difícil o laudo indicar a causa da morte, porque o fogo apaga os vestígios. Foi então que decidimos quebrar o sigilo telefônico da esposa da vítima”, disse o delegado.

Caminhão foi encontrado incendiado – Foto: TNonline

Ligação suspeita

Nas conversas interceptadas, a polícia descobriu que a suspeita entrou em contato com o caminhoneiro durante o trajeto dele. O casal estava separado, porém, não judicialmente. Havia uma rota preestabelecida pela empresa em que Abreu trabalhava, contudo, o motorista mudou o percurso e seguiu para Arapongas, até a casa de Cristiane.

Outro número com quem ela falava frequentemente chamou a atenção e a polícia decidiu investigar. “Era o André. Ao puxar os dados dele verificou-se que era ex-presidiário e que inclusive usava tornozeleira eletrônica”, contou Jacovós.

Foi a partir deste ponto que o quebra cabeça começou a ser montado. A polícia solicitou o mapa de rastreamento do equipamento e descobriu que o rapaz esteve em Apucarana exatamente no dia e local onde o caminhão incendiado foi encontrado.

“Obviamente a partir daí a polícia já tinha dedução do que teria acontecido e foi solicitada as prisões da mulher e do amante”, disse o delegado.

O crime

Jacovós informou, com base nos interrogatórios dos suspeitos, que Abreu foi morto com uma facada no pescoço em frente a casa da mulher, em Arapongas. Conforme o delegado, o casal estava separado e ela teria atraído o caminhoneiro até sua casa com a desculpa de que pretendia se reconciliar. Os dois eram casados há 20 anos e têm um filho de 18.

“Entendemos que ela atraiu o marido até Arapongas, o amante o aguardava próximo ao caminhão e deu uma facada no pescoço. Eles seguiram para Apucarana e colocaram fogo no veículo. Depois foram até um hotel onde consumiram cerveja”, relata.

Após a localização do corpo, Cristiane foi chamada à delegacia. Segundo a polícia, ela parecia surpresa e bastante abalada. “Dissimulada. Obviamente se mostrou totalmente comovida com a morte do marido, dizendo que queria voltar com ele”, acrescenta o delegado.

De acordo com a investigação, a mulher teria procurado a empresa onde a vítima trabalhava para receber o pagamento. “Há ainda uma questão do seguro de vida de R$ 30 mil”, acrescenta o delegado

Para saber versão dos acusados, clique AQUI