O segurança de um mercado de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), acusado de matar uma assaltante e deixar outro paraplégico, foi absolvido pelo Tribunal do Júri, em julgamento realizado na sexta-feira (6). O caso aconteceu em fevereiro de 2016. José Galinki Dias, de 39 anos, era acusado por homicídio qualificado e tentativa de homicídio. Ele foi absolvido por legitima defesa.

Foto: Reprodução EBC

Na época, a polícia concluiu no inquérito que hão houve a legítima defesa, mesma posição do Ministério Público do Paraná. Porém, a defesa demostrou em plenário que foi isso que ocorreu. De acordo com o advogado Jefferson Martins Leite, a tese foi provada no Júri.

“A defesa lutou incessantemente para demonstrar que José Galinki Dias agiu em legítima defesa não só dele, mas como de terceiros, reagindo a uma injusta agressão, o que foi provado no tribunal. Ele passou mais de um ano preso e agora ganhará a liberdade”, disse o advogado Leite.

Dias foi preso em agosto de 2019 e agora a juíza Daniele Miola determinou a expedição do alvará de soltura do réu. O julgamento começou às 9 horas e foi encerrado às 17 horas, no Foro Regional de Pinhais.

O crime

José Galinski Dias era segurança de um supermercado no Jardim Weissópolis, quando um jovem de 18 anos e outro de 28 entraram para assaltar o estabelecimento. Eles teriam percebido que havia um segurança no local e correram, porém foram baleados por Dias. O mais novo morreu e o mais velho ficou paraplégico.