Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

arrastaoVítima contou que bandidos apontaram arma contra cabeça de passageiros. Foto: DM/Banda B

Quinze passageiros sofreram um arrastão dentro de ônibus da linha Tingui, em Curitiba, na manhã desta segunda-feira (11). Dois assaltantes embarcaram no ônibus e roubaram todos os passageiros do micro-ônibus que faz o trajeto terminal do Cabral – Santa Cândida. Segundo os passageiros, o motorista do coletivo não acionou a Polícia Militar (PM) ao chegar no terminal. Testemunhas disseram que ele fez o desembarque, voltou ao trajeto e não comunicou responsáveis pelo roubo. A atitude gerou revolta. A Prefeitura de Curitiba diz que o comportamento do motorista foi a correta, já que nada dele foi levado.

O assalto aconteceu na Av. Marechal Mascarenhas de Morais, próximo a um ponto de combustível, sentido terminal do Santa Cândida. Os bandidos estavam armados, embarcaram no ônibus pela porta da frente e pediram carteiras e celulares aos passageiros.

Uma mulher de 35 anos que foi vítima do arrastão estava bastante nervosa e, em entrevista à Banda B, disse que a ação dos bandidos foi rápida. “Eles entraram no ônibus em dois, apontando um revólver para a cabeça dos passageiros. Pediram celular e carteira e no outro ponto já mandaram o motorista parar. Foi bem rápido, mas o susto foi grande. Eu entreguei só meu celular, mas teve gente que encontrou bolsa e tudo”, descreveu a vítima.

A revolta maior dos passageiros aconteceu no Terminal do Santa Cândida quando o motorista desembarcou os passageiros e foi embora, sem fazer qualquer comunicação de roubo. “O motorista foi embora, como se nada tivesse acontecido, não avisou nada, nem ninguém, desembarcou e foi embora. É por isso que a gente está mais revoltado ainda”, finalizou.

Nada do coletivo foi roubado. Por se tratar de um micro-ônibus, não há presença de cobradores e a linha aceita apenas cartão transporte. Passageiros ligaram ao 190 e aguardaram a presença da polícia dentro do terminal para registrar os Boletins de Ocorrência.

Outro lado

A Prefeitura de Curitiba enviou nota à redação sobre o caso, a pedido da Banda B. Segundo a assessoria, o motorista fez um procedimento correto, já que nada dele foi levado. “A Urbs informa que o motorista seguiu as orientações previstas para esse tipo de ocorrência. A empresa responsável foi notificada, além do contato direto com o Centro de Controle Operacional (CCO), da Urbs , via computador de bordo, que aciona o atendimento da Guarda Municipal”.