Jonathan Borges foi o primeiro detido (Foto: Divulgação Flávia Barros – Banda B)

 

A quadrilha responsável pelo assalto que deixou a jovem Larissa Morgana Ferreira, de 24 anos, morta em Campo Magro, na região metropolitana de Curitiba, pode estar envolvida em mais crimes contra o transporte coletivo. De acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil nesta quinta-feira (5), os envolvidos identificados até o momento são moradores de Pinhais e são investigados por outros roubos e arrastões em bairros e cidades mais ao norte de Curitiba.

Paulo Sérgio está foragido

Segundo o delegado Tito Lívio Barichello, a forma de agir deles é muito parecida com a de outros crimes, o que leva a polícia a crer nessa participação. “Esses outros crimes não geraram a morte de ninguém, mas a correlação é muito clara”, comentou.

O suspeito detido na quarta-feira (4) foi identificado como Jonathan Borges, de 22 anos. Ele foi intimado e detido na Delegacia de Almirante Tamandaré. Um segundo suspeito, Paulo Sérgio Veiga de Almeida, de 21 anos, está foragido, mas com a prisão preventiva já decretada pela Justiça.

Como um dos suspeitos morreu no local, resta a divulgação do último suspeito. Este foi baleado e chegou a ser socorrido em uma unidade de saúde de Campo Magro, mas fugiu do local.

O crime

Larissa foi morta em uma troca de tiros entre quatro assaltantes e um policial aposentado dentro do ônibus na noite de 23 de setembro, dentro de um ônibus da linha Curitiba/Campo Magro. O confronto, que aconteceu na Estrada do Cerne, deixou outras quatro pessoas feridas – entre eles o PM que reagiu. Um dos ladrões também morreu.